Claritromicina-disp

—> Claritromicina – o espectro de actividade antibacteriana é semelhante ao da azitromicina. Tal como os outros macrólidos, a sua actividade contra H. influenzae é reduzida, com CIM variando entre 1 e 8 p.g/ml, o que representa cerca de metade da actividade da eritromicina. No entanto, a existência de um metabolito (14-hidroxiclaritromicina) com actividade superior à da eritromicina contra H. influenzae e bactericida em concentrações próximas da CIM parece compensar, na prática clínica, aquela deficiência. Contra anaeróbios, a sua actividade é semelhante à da eritromicina, mas é mais activa contra L. pneumophila (8 vezes), M. catarrhalis, M. pneumoniae e C. trachomatis.
• Farmacologia – é estável em meio ácido e apresenta uma biodisponibilidade oral relativa de 55% que não é significativamente afectada pela presença de alimentos.
As concentrações tecidulares ao nível das secreções respiratórias e das amígdalas tonsilares são cerca de 2 e 4 vezes superiores, respectivamente, às concentrações obtidas no plasma. A semivida de eliminação é de 5 a 7 horas após uma dose oral de 500 mg, permitindo uma administração em 2 tomas diárias, e foi desenvolvida uma formulação de libertação modificada que permite a administração numa toma única diária. Ao contrário do que sucede com a generalidade dos macrólidos, a recuperação urinária do fármaco é bastante signficativa (20 a 40% nas 24 horas), o que obriga a um ajuste de dose em doentes com depuração da creatinina inferior a 30 ml/minuto.
• Segurança – a claritromicina é geralmente mais bem tolerada do que a eritromicina, com menor incidência de efeitos gastrintestinais, estando descrita a ocorrência de efeitos adversos transitórios laboratoriais sobre a função hepática.
• Interacções – o potencial para a interacção medicamentosa com outros fármacos metabolizados pelas isoenzimas do citocromo P450 é semelhante ao da eritromicina, tal como a possibilidade de ocorrência de arritmias ventriculares graves quando coadministrado com terfenadina, astemizol ou cisapride.
• Gravidez – classe C.
Posologia e administração – a claritromicina é, actualmente, uma boa alternativa às penicilinas no tratamento das amigdalofaringites estreptocócicas (duração recomendada de 10 dias), sinusites, exacerbações da bronquite crónica e PAC (500 mg de/12 horas, duração de tratamento recomendada de 14 dias).

Algumas Etiquetas


cirurgia de hemorroida,cricotomia,herpes génital,fissura anal,radioterapia,trinitrato de glicerina,urticaria,leucocitos 14000,meralgia parestésica,cirurgia de hemorroidas.

Tambem podera gostar -