capa-hidratac3a7c3a3o

Este é o órgão comum a todas as localizações tratadas com RT externa, respondendo da mesma forma independentemente do local. Alguns factores locais ou gerais podem modular a intensidade e duração dos sintomas e sinais desenvolvidos, mas a altura do seu aparecimento é quase uma constante, ocorrendo cerca de 3 semanas após o início da RT.
De início, apenas é notável um eritema com sensação de calor ou prurido. A evolução é com frequência para um eritema mais intenso com descamação, sem exsudação, acompanhada da exacerbação dos sintomas anteriores. A maior parte dos casos não sofre agravamento, e a medicação limita-se à utilização de tópicos emolientes (pantenol, biafine), eventualmente com corticóide (deve ser usado com precaução pois interfere nos mecanismos naturais de cicatrização). A aplicação de violeta de genciana, especialmente nas zonas intertriginosas é eficaz para prevenir infecções secundárias, ajudando a manter estas zonas secas e limpas.
Raramente a dermite evolui para uma forma mais grave, com aparecimento de exsudação, obrigando à interrupção da RT. Nestas circunstâncias a aplicação de tópicos contendo óxido de zinco é benéfica. A utilização de antibióticos é desnecessária, excepto se se comprovar a presença de infecção. Melhor que estas medidas de tratamento activo, parece funcionar a prevenção, evitando traumatismos locais ou visando a melhoria das condições locais (hidratação e massagem, higiene, prevenção da maceração por fricção ou exposição).
Constitui agressão para a pele qualquer factor que favoreça a sua fragilização, seja um dano propriamente dito ou interaja com as radiações potenciando a sua acção. No primeiro ponto, qualificam-se as zonas intertriginosas, onde a humidade local e o atrito constante constituem elementos facilitadores do aparecimento de reacções secundárias à RT. O mesmo raciocínio é aplicável a locais sujeitos a atrito ou traumatismos mais ou menos evidentes, de uma forma rotineira, como seja a pele da face, sujeita ao barbear diário, nos homens, e aos elementos exteriores (radiação solar, frio, calor, humidade, etc). Na segunda categoria está o uso de tópicos, pomadas, cremes, pastas ou loções, que, não sendo lesivos por si sós, contêm elementos que interagem com a radiação, aumentando a dose absorvida pela pele (por exemplo, tópicos contendo zinco). Estes têm um efeito designado de bolus, aproximando da superfície a zona de maior dose, devendo pois ser cuidadosamente retirados antes da administração da RT.
Relativamente aos anexos da pele, nomeadamente os folículos pilosos, por se encontrarem a uma profundidade maior do que a da camada basal da pele, não beneficiam do efeito de build-up. Doses acima de 30 Gy em 3 semanas provocam o desaparecimento temporário do cabelo, na zona irradiada, enquanto que 60 Gy em 6 semanas ou mais determinam uma epilação permanente.
Para além da pele, anteriormente abordada, estão sujeitas a efeitos secundários do tratamento, as mucosas das vias aéreas e digestivas superiores e seus acessórios, nomeadamente as glândulas salivares e papilas gustativas e o aparelho fonador.

Algumas Etiquetas


cirurgia de hemorroida,cricotomia,herpes génital,fissura anal,radioterapia,trinitrato de glicerina,urticaria,leucocitos 14000,meralgia parestésica,cirurgia de hemorroidas.

Tambem podera gostar -