aminossalicilato-de-sodio-oral-1024x835
Quimioprofilaxia das Infecções Urinárias Recorrentes na Mulher

Assenta no pressuposto da erradicação dos reservatórios bacterianos anatómicos (fezes, intróito vaginal), preferencialmente sem induzir impacto significativo na resistência microbiana. No entanto, deve ser tido em conta que a recidiva de infecções complicadas, designadamente de pielonefrites, é um achado raro, que só excepcionalmente se relaciona com a cistite recorrente que é frequente na mulher. Na mulher pré-menopáusica, as infecções relacionam-se com factores anatómicos, como a proximidade entre o meato uretral e o ânus, com alterações na flora bacteriana habitual do períneo, designadamente com a carência de lactobacilos, com factores genéticos, tais como a presença dos fenótipos não-secretor e recessivo do grupo sanguíneo Lewis e não-secretor ABH, que podem condicionar alterações na adesividade de E. coli uropatogénica ao epitélio vaginal, e, finalmente, factores mecânicos, como o coito, sobretudo quando associado ao uso de espermicidas. Na mulher pós-menopáusica, para além destes factores, ganha importância a deficiência local em estrogénios e a eventual contaminação decorrente da incontinência urinária. Em ambos os casos, a E. coli é o agente mais frequentemente implicado.
Quando a frequência dos episódios de infecção é suficiente para afectar a qualidade de vida da doente (3 ou mais episódios/ano), pode ser útil equacionar estratégias destinadas a reduzir este inconveniente. No entanto, é necessário, antes de tudo, confirmar de que se trata de situações de causa infecciosa e não da simples síndrome uretral, bem como distinguir as infecções recorrentes, devidas, habitualmente, a um novo agente bacteriano, da recidiva de uma infecção insuficientemente tratada.
As recomendações para hidratação adequada, para a micção pós-coital e para a redução de utilização de espermicidas devem ser implementadas antes de se considerar o recurso a QP. Alguns estudos apontam para um impacto significativo do consumo de sumo de arando (cranberry) na redução da frequência das recorrências. Na mulher pós-menopáusica, a utilização de esteróides tópicos pode ser útil.
Embora estejam disponíveis estudos que documentam uma redução significativa da frequência das infecções sintomáticas com a utilização de regimes relativamente simples, designadamente utilizando uma dose reduzida de co-trimoxazol (480 mg ou 960 mg) ou de nitrofurantoína (50 mg/dia), todos os regimes se associam eventualmente, à ocorrência de infecções sintomáticas nas doentes expostas, nunca tendo sido devidamente avaliado o impacto desta intervenção no que diz respeito ao risco de colonização intestinal ou vaginal por estirpes resistentes. Assim, a QP deve ser reservada aos casos em que o impacto na qualidade de vida seja significativo e nos quais a utilização de estratégias que não recorram à utilização de antibióticos se tenham revelado ineficazes.

Algumas Etiquetas


cirurgia de hemorroida,cricotomia,herpes génital,fissura anal,radioterapia,trinitrato de glicerina,urticaria,leucocitos 14000,meralgia parestésica,cirurgia de hemorroidas.

Tambem podera gostar -