Artigos

acne 180x180 - Acne

Acne

A acne resulta da inflamação dos folículos pilosos e glândulas sebáceas, com retenção de sebo, evoluindo por surtos, sob influência hormonal. É geneticamente determinada, tem maior incidência na juventude e na sua etiopatogenia estão implicados quatro factores principais:
-> Hiperplasia sebácea com consequente seborreia, por acção de estímulos androgénicos sobre as glândulas sebáceas, entendendo-se como importante o efeito no órgão alvo e não especificamente os níveis circulantes de hormonas.
—> Hiperqueratose do infundíbulo piloso, a qual condiciona o encerramento folicular.
—> Colonização bacteriana pelo Propionibacterium acnes e Staphylococcus albus, com consequente inflamação folicular (directamente por acção bacteriana ou resultante da capacidade irritante dos ácidos gordos libertados pelo microrganismo).
—> Reacção inflamatória/imunitária, com libertação de vários mediadores da inflamação.
Sendo a clínica da acne sobejamente conhecida, não nos debruçaremos sobre a mesma.

Acne 121 180x180 - Tratamentos Tópicos (Acne)

Tratamentos Tópicos (Acne)

Estão indicados nas formas ligeiras ou moderadas, como tratamento isolado ou associado, ou como adjuvante de tratamentos sistémicos.
—> Retinóides tópicos – normalizam a descamação do epitélio infundibular, facilitando a eliminação dos comedões (acção comedolítica), e têm alguma acção anti-inflamatoria.
Utilizam-se a tretinoína, a isotretinoína, o adapaleno e o tazaroteno (não disponível em Portugal). O adapaleno, que pode ser utilizado em creme ou gel (0,1%), tem acção comedolítica semelhante aos outros, mas é menos irritante e mais bem tolerado.
Devem ser aplicados lxdia, à noite, mas é conveniente nas primeiras semanas de tratamento aplicar apenas 2-3xsemana, para evitar situações de irritação aguda. O retinol e o retinaldeído têm acção comedolítica muito menos marcada, mas em compensação têm melhor tolerabilidade, pelo que se usam, muitas vezes, em fases de manutenção.
—> Antibióticos tópicos – actuam reduzindo a colonização bacteriana e a resposta inflamatória/imunitária. Estão indicados também nas formas inflamatórias ligeiras a moderadas; são, em regra, bem tolerados, mas podem induzir resistências bacterianas.
Os mais frequentemente utilizados são a clindamicina (1% em loção ou gel) e a eritromicina (2% em creme, 2 e 4% em solução, associada ou não a acetato de zinco).
—> Outros antimicrobianos – o PB (peróxido de benzoílo) (5-10% em gel, creme ou como loção de limpeza) tem acção microbiana e, embora limitada, alguma acção comedolítica. Tem como vantagem em relação aos antibióticos o facto de não induzir resistências bacterianas, mas necessita de ser utilizado com cuidado, pois tem alguma acção irritante, pontualmente sensibilizante, e pode ocasionar descoloração de cabelos e roupa.
– Outras associações e tópicos – a associação no mesmo tópico de dois antiacneicos tem vantagens posológicas, maior comodidade de aplicação e potencia o efeito de cada um dos produtos. Existem actualmente comercializadas associações de (0,1% + 2,5%), eritromicina + isotretinpína (2% + 0,5%).
O ácido azelaico, e os alfa e p-hidróxiácidos (ácidos glicólico e salicílico) têm eficácia limitada, mas podem ser utilizados como adjuvantes em fases de manutenção.
– Cosméticos – não devem ser considerados como agentes terapêuticos, mas apenas adjuvantes. Incluem-se produtos de lavagem, hidratantes, bálsamos labiais, emulsões com alguma acção comedolítica ou seborreguladora.

métodos contraceptivos vantagens e desvantagens 180x180 - Benefícios dos Contraceptivos Orais

Benefícios dos Contraceptivos Orais

— Regularização do ciclo menstrual.
— Diminuição do fluxo menstrual.
— Menor probabilidade de anemia ferropénica.
— Melhoria da dismenorreia.
— Regularização das alterações menstruais da perimenopausa.
— Menor incidência de quistos do ovário.
— Menor incidência de gravidezes ectópicas.
— Diminuição dos fibroadenomas/doença fibroquística mamária.
— Menor incidência de doença inflamatória pélvica.
— Menor incidência de neoplasia do ovário e endométrio.
— Melhoria do acne.
— Benefícios emergentes (efeito benéfico na massa óssea, na neoplasia colorrectal, na artrite reumatóide, no hiperandrogenismo, na endometriose e na redução dos fibromiomas uterinos).

Deep Scars 180x180 - Esquemas Terapêuticos (Acne)

Esquemas Terapêuticos (Acne)

Para facilidade de compreensão e utilização prática desenharam-se guidelines de tratamento, consoante a gravidade e tipo de acne.
—» Acne comedónica – nas formas ligeiras ou moderadas, os retinóides tópicos, adapaleno ou outros são a terapêutica de eleição. A associação com o peróxido de benzoílo pode revelar-se útil, sobretudo se houver componente inflamatório. Nas formas mais extensas ou em que predominem os macrocomedões fechados, a abertura e expressão dos comedões, em complemento dos retinóides tópicos, pode tornar-se necessária. Em casos particularmente rebeldes, a administração de isotretinoína, em doses baixas, facilita a expulsão destes comedões.
—> Acne pápulo-pustulosa – nas formas com poucas lesões, a terapêutica tópica pode ser suficiente – retinóides tópicos, peróxido de benzoílo, antibióticos tópicos ou associação destes – devendo esta terapêutica prolongar-se por cerca de 2-3 meses para apreciação da sua eficácia. Em caso de insuficiente resposta ou nas formas mais intensamente inflamatórias, tem plena justificação iniciar-se a terapêutica com antibióticos sistémicos (doxiciclina, minociclina ou outro), por período de, pelo menos, 6 meses.
– Nas mulheres poderá ainda ser ponderada a terapêutica hormonal associada. Em caso de falência ou rápida recidiva das lesões após a suspensão da terapêutica, há que equacionar o recurso aos retinóides sistémicos (isotretinoína) nas doses e por período anteriormente referido. Dada a xerose que ocasiona a isotretinoína, há que ser cuidadoso na terapêutica tópica associada a este fármaco.
Acne nódulo-quística – pode iniciar-se a terapêutica com antibióticos sistémicos e tratamento tópico; mas em formas muito inflamatórias e com tendência cicatricial, a isotretinoína deve ser o medicamento de l.a escolha, por vezes associando, numa fase inicial, corticoterapia oral, em baixas doses, para redução mais rápida do componente inflamatório. Se o componente nódulo-quístico for muito marcado, pode ser necessário efectuar algum procedimento cirúrgico associado, como a drenagem de alguns nódulos.

foto de paciente com acne1 180x180 - Cirurgia da Acne Activa

Cirurgia da Acne Activa

Em todas as formas de acne poderá ser útil complementar o tratamento médico com algumas com técnicas cirúrgicas simples tais como a extracção dos comedões, drenagem de pústulas ou nódulos, as quais, embora não alterem a história natural da doença, são de benefício cosmético imediato para o doente.
Nas sequelas tardias da acne, nomeadamente cicatrizes deprimidas, podem ser utilizadas múltiplas modalidades terapêuticas, nomeadamente peelings, dermabrasão, fillers ou ressurfacing com laser de CO2. Nas cicatrizes recentes e eritematosas, o laser pulsado de contraste parece proporcionar alguns resultados. Em todas as técnicas deve-se, no entanto, assegurar de que não existem lesões activas há pelo menos 3 meses.

acnepix2 180x180 - Tratamentos Sistémicos (Acne)

Tratamentos Sistémicos (Acne)

Utilizam-se nos casos de acne moderada a grave, habitualmente associados a tratamento tópico.
– Antibióticos orais – actuam não só devido à sua acção antibacteriana, mas associam também acção anti-inflamatória, em especial as tetraciclinas.
As tetraciclinas de 1.ª geração – oxitetraciclina e cloridrato de tetraciclina – e, sobretudo, as de 2.ª geração – minociclina e doxiciclina são as mais utilizadas. As segundas têm vantagem posológica e maior comodidade de administração (1xdia), embora sejam mais caras. Utilizam-se na dose de 100 mg/dia, que se pode reduzir para 50 mg/dia quando se obtém o controlo da dermatose. Com menos frequência podem utilizar-se os macrólidos (eritromicina ou azitromicina) ou, mais raramente ainda, cotrimoxazol, sulfonas ou quinolonas.
A terapêutica antibiótica, se eficaz, deve ser prolongada por 6 meses. Não deve ser feita em monoterapia, e não deve associar-se a antibioterapia tópica (pode associar-se a retinóides tópicos ou peróxido de benzoílo), nem a retinóides orais (tetraciclinas).
Os principais problemas com a antibioterapia oral prendem-se com a emergência de resistências microbianas e com os eventuais efeitos acessórios da minociclina e doxiciclina. A primeira pode provocar síndromes vertiginosas (dose-dependentes), pigmentação cutânea, síndromes de hipersensibilidade ou auto-imunes; a doxiciclina tem potencial fototóxico, pelo que é prudente evitar a utilização durante o Verão.
– Terapêutica hormonal – está, obviamente, restringida ao sexo feminino e tem por objectivo reduzir a actividade androgénica ao nível da glândula sebácea. Combinam, habitualmente, um estrogénio (etinilestradiol) com um anti-androgénio (acetato de ciproterona, dienogest, drospirenona, clormadinona). Está indicada em mulheres com acne de agravamento pré-menstrual, com acne da mulher adulta, associada a outras manifestações de hiperandrogenismo, em jovens sexualmente activas com acne inflamatória, ou como anticoncepcional em mulheres em tratamento com isotretinoína.
– Retinóides orais – a isotretinoína é o fármaco antiacneico mais completo, uma vez que actua nos quatro factores patogénicos da acne. Contudo, dado os potenciais efeitos acessórios, a sua utilização está reservada a casos de acne inflamatória moderada a grave, resistente a outros tratamentos ou com rápida recidiva após tratamento antibiótico correcto, acne nódulo-quística, acne da mulher adulta ou em casos de acne com marcada tendência cicatricial. Deve ser administrada em doses de 0,5-0,7 mg/kg/dia, após as refeições, até atingir a dose cumulativa total de 100-120 mg/kg. A melhoria inicia-se entre o 1.° e 2.° mês de tratamento e induz remissões prolongadas, muitas vezes definitivas.
Os principais efeitos secundários são a secura das mucosas, em especial a queilite, a maior sensibilidade à radiação UV (cuidados extremos na sua administração no Verão) e o potencial teratogénico, que obriga à prevenção da gravidez em mulheres em idade fértil, até 2 meses após a suspensão do tratamento. Deve ser feito controlo laboratorial da função hepática e do perfil lipídico.
Dada a necessidade de experiência no controlo deste fármaco, a sua utilização deve ser reservada ao especialista.

Acne grave 180x180 - Tratamento (Acne)

Tratamento (Acne)

O tratamento da acne procura controlar os quatro factores mais importantes que constituem a patogénese da doença, associando tratamentos tópicos e/ou sistémicos, dependendo do tipo e gravidade da doença.

100 1372 180x180 - Clínica (Associada ao Hipercortisolismo e ao aumento dos Androgénios da Suprarrenal)

Clínica (Associada ao Hipercortisolismo e ao aumento dos Androgénios da Suprarrenal)

– Obesidade centrípeta, fácies de lua cheia, estrias purpúricas no abdómen, axilas, mamas e anca.
– Acne e hirsutismo.
– Pele fina e equimoses fáceis.
– Ausência de pigmentação (apesar do aumento da concentração de ACTH, este aumento normalmente é insuficiente para levar a hiperpigmentação).
– Fraqueza muscular proximal.
– Amenorreia, impotência e infertilidade.
– Intolerância à glicose, DM, HTA e osteopenia.
– Depressão, ansiedade, irritabilidade, euforia, labilidade emocional e psicose.
– Elevação moderada de cortisol e de androgénios (DHEAS, DHEA, androstenediona e testosterona e dihidrotestosterona).