Artigos

otite2 1 180x180 - Otite Externa Maligna

Otite Externa Maligna

Osteomielite do osso temporal e base do crânio, geralmente causada por infecção de Pseudomonas aeruginosa ou flora mista.
Doença potencialmente fatal, que afecta quase exclusivamente doentes imunodeprimidos (idosos, diabéticos, doenças imunológicas).
Manifesta-se por otalgia e otorreia persistente e presença de tecido de granulação e sequestros ósseos no CAE.
A evolução do quadro leva ao progressivo envolvimento dos pares cranianos.
O diagnóstico é clínico e radiológico. O tratamento é preferencialmente médico (internamento, antibioticoterapia e.v., limpeza do CAE), devendo o tratamento cirúrgico ser reservado para os casos que não respondem à terapêutica médica.

reduzir riscos do uso de antibioticos para criancas e simples 1  2012 10 22151531 180x180 - Piperacilina+tazobactam

Piperacilina+tazobactam

– Piperacilina+tazobactam – com boa actividade contra GR+, GR- e anaeróbios, a piperacilina é uma ureidopenicilina com espectro amplo, valiosa pela boa actividade contra P aeruginosa. A adição de tazobactam, um inibidor das P-lactamases, veio alargar a actividade a enterobacteriáceas produtoras de p-lactamases (mas não de BLEA), mas não modifica a actividade contra pseudomonas.
• Farmacologia – não absorvida por via oral. Boa distribuição tecidular, é escassamente metabolizada e excretada sobretudo na urina (80%). t1/2 de cerca de 1 hora.
• Interacções – anticoagulantes orais. Pode inactivar os aminoglicósidos in vitro, sendo este efeito mais marcado com gentamicina e tobramicina do que com amicacina.
Embora o impacto deste efeito não tenha sido completamente avaliado in vivo, a utilização concomitante destes fármacos, particularmente em doentes imunodeprimidos, impõe a monitorização dos níveis séricos (MNS) dos aminoglicósidos.
– Segurança – podem ocorrer reacções de hipersensibilidade, mais frequentes em doentes com antecedentes de alergia à penicilina, reacções no local de administração, cefaleias, náuseas, convulsões. A sobrecarga sódica pode ser relevante em insuficientes renais.
-Gravidez – classe B.
-Posologia e administração – o tratamento de infecções por pseudomonas, recomenda-se a dose de 4,5 g de 6/6 horas, e.v. Em alternativa, pode-se administrar a mesma dose diária (18 g) em perfusão contínua.