Artigos

plantar 180x180 - Fasceíte Plantar

Fasceíte Plantar

É uma das causas mais frequentes de pé doloroso no adulto.
É um processo inflamatório na zona de inserção da aponevrose plantar na face inferior do calcâneo ao nível da sua tuberosidade póstero-interna.
Resulta frequentemente de microtraumatismos crónicos e repetitivos, mas pode também ocorrer secundariamente a doenças reumáticas inflamatórias (artrite reumatóide, espondilartrites seronegativas) ou metabólicas. Outros fatores predisponentes são as alterações de estática do pé (pé cavo, pé plano) e a obesidade.
Manifesta-se por talalgias plantares, desencadeadas ou agravadas pela posição de pé, marcha e pela dorsiflexão dos dedos do pé.
O diagnóstico é sugerido pela dor à palpação na zona de inserção da faseia a nível do calcâneo e é exacerbada pela dorsiflexão forçada do pé.

IMG 0677 copy 180x180 - Contratura de Dupuytren

Contratura de Dupuytren

A contractura de Dupuytren caracteriza-se por uma lesão fibrosante nodular da aponevrose palmar. Produz contracturas dos dedos que conduzem à flexão das articulações MCF. A sua etiologia é desconhecida, ocorrendo sobretudo em homens acima dos 40 anos e parece haver uma forte predisposição genética. Pode surgir em profissões sujeitas a traumatismos repetidos (ferreiros) ou associar-se a várias doenças como a epilepsia, diabetes mellitus, o alcoolismo crónico e a doença pulmonar crónica.
Os sintomas iniciais consistem no aparecimento de um ou mais nódulos indolores, junto à face palmar das MCF dos 3.°, 4.°, ou 5.° dedos. O 4.° dedo é o mais frequentemente afetado. Os nódulos vão-se espessando, com aderência à pele, a qual se torna irregular e endurecida. Mais tarde surge a flexão irredutível dos dedos das mãos, mantendo-se os movimentos de flexão, mas não os de extensão. É indolor, sendo o grau de gravidade relacionado com a intensidade da retração e com a difusão das lesões da mão.
O exame objetivo pode revelar a presença de nódulos cutâneos palmares indolores. Pode haver uma pequena depressão na pele na zona do nódulo com bandas fasciais que se estendem distalmente e, por vezes, proximalmente ao nódulo. Estas bandas podem cruzar a MCV e a IFP mantendo o dedo contraído.
O diagnóstico é sempre exclusivamente clínico.