Artigos

pralidoxima injetavel 1024x768 180x180 - Capreomicina (Tuberculose)

Capreomicina (Tuberculose)

– Capreomicina – é um polipéptido, que tem boa actividade contra MT, embora possa ocorrer resistência cruzada com amicacina e canamicina (mas não com SM), pelo que é frequentemente tratado em conjunto com estes fármacos.
• Posologia e administração – apenas está disponível para uso parentérico i.m. Reacções adversas mais frequentes incluem nefrotoxicidade e ototoxicidade, relacionadas com a dose e mais frequentes a partir dos 50 anos. A DDR é de 1 g i.m./5xsemana, não excedendo os 2 meses de tratamento, e de 1 g/3xsemana em doentes com mais de 50 anos.

reduzir riscos do uso de antibioticos para criancas e simples 1  2012 10 22151531 180x180 - Amicacina e canamicina (Tuberculose)

Amicacina e canamicina (Tuberculose)

– Amicacina e canamicina – são aminoglicósidos que, tal como a SM, têm actividade contra o complexo MT.
Em estudos in vitro, a amicacina apresenta maior eficácia do que a SM, mas o seu elevado custo e maior toxicidade remetem-na para o tratamento de 2.ª linha. A canamicina apresenta maior potencial de ototoxicidade.
• Posologia e administração – a DDR é 7-10 mg/kg (não excedendo 1 g) para a amicacina e 10 mg/kg e de 500 mg para a canamicina, ambas i.m.

PENT PEQ PORTE 0 180x180 - Estreptomicina (Tuberculose)

Estreptomicina (Tuberculose)

– Estreptomicina (SM) – é um aminoglicósido. Tal como a amicacina e a canamicina, é um bactericida contra bactérias do complexo MT, mas actua apenas em meio extracelular. Ocorre resistência intrínseca em 1/10 micobactérias, pelo que, à semelhança dos restantes antimicobacterianos, deve ser utilizada no contexto de uma combinação de, pelo menos, quatro fármacos. Tal como o etambutol, é utilizada sobretudo para reduzir a ocorrência de resistências em doentes com risco elevado, mas o facto de apenas estar disponível para utilização parentérica (sobretudo i.m., no caso da TB), torna-a útil apenas nos casos em que aquele fármaco não pode ser utilizado.
• Posologia e administração – a DDR é de 15-20 mg/kg, não excedendo a dose diária total de 1 g, i.m., não devendo ser administrada por períodos superiores a 2 meses.
Os efeitos adversos são semelhantes aos dos restantes aminoglicósidos, salientando-se a ototoxicidade e a toxicidade renal.