Artigos

Hemodialysismachine 180x180 - SCUF (Ultrafiltração Contínua Lenta)

SCUF (Ultrafiltração Contínua Lenta)

A ultrafiltração contínua lenta é um método puramente convectivo. Como está implícito, existe uma ultrafiltração lenta (aproximadamente 100 ml/hora ou 2,4 IL/dia) que permite equilibrar os aportes sob a forma de alimentação ou fármacos. Não exige solução de reposição. É uma técnica que pode ser AV ou VV.

trasplante renal 1024x768 180x180 - HDFVVC (Hemodialfiltração Venovenosa Contínua)

HDFVVC (Hemodialfiltração Venovenosa Contínua)

Talvez corresponda à técnica mais frequentemente executada desde a, introdução dos novos sistemas acima descritos. E um método depurativo simultaneamente difuso e convectivo. O fluxo de sangue através do circuito extracorporal é regulado por uma bomba, permitindo um desenho VV.
Uma bomba gera pressão transmembranária variável que origina um ultrafiltrado importante. Este é parcialmente substituído por uma solução de reposição cujo débito depende dos objetivos clínicos. Ao mesmo tempo, outra bomba regula a passagem de solução de diálise, contracorrente, através do dialisador. Dadas as condições técnicas, a concentração de solutos à saída do dialisador é igual à concentração dos solutos no plasma à entrada no dialisador e assim a depuração plasmática obtida é igual ao fluxo do efluente.
Nesta técnica a variação relativa do fluxo da solução dialisante e de reposição permite obter depurações médias de ureia de 30 ml/minuto.
A solução de reposição pode ser administrada quer em pré-diluição, quer em pós-diluição Na primeira situação a solução de reposição é infundida no circuito extracorporal antes do sangue entrar no hemofiltro. O sangue é diluído tornando-o menos viscoso e diminuindo a probabilidade de coagulação do hemofiltro. A desvantagem da pré-diluição reside na diminuição da eficácia da depuração de produtos tóxicos, dado que o ultrafiltrado é gerado de uma mistura do sangue com a solução de reposição. A pós-diluição é o método standard. A infusão da solução de reposição é feita depois do filtro. Para taxas de ultrafiltração elevadas (fracção de filtração – FF), o sangue no interior das fibras capilares do hemofiltro fica progressivamente mais concentrado. Este fenómeno aumenta a resistência ao fluxo sanguíneo a uma progressiva dificuldade em ultrafiltrar e finalmente a uma diminuição da vida do hemofiltro por coagulação. Estudos demonstraram que FF >20% contribuem para uma diminuição da vida útil do hemofiltro e a sua performance. Para FF elevadas, deve-se aumentar o Qb ou utilizar a pré-diluição, especialmente em técnicas convectivas puras nas quais a clarificação plasmática depende da ultrafiltração.
A técnica a escolher depende das taxas de ultrafiltração que se pretendem, por um lado, e do hematócrito do doente pelo outro. Hematócritos mais altos amplificam o problema ao tornar o sangue no interior dos capilares do hemofiltro mais concentrado em elementos celulares.

est1 180x180 - HDAVC (Hemodiálise Arteriovenosa Contínua)

HDAVC (Hemodiálise Arteriovenosa Contínua)

É uma técnica difusiva. O circuito extracorporal adotado tem um desenho AV. A depuração depende do fluxo de dialisante através do dialisador. Coexiste uma ultrafiltração modesta que permite equilibrar o balanço hídrico diário.