Artigos

hand eczema1348715395739 180x180 - Características Clínicas (Eczema de Causa Externa)

Características Clínicas (Eczema de Causa Externa)

As dermites de contacto irritativas e as alérgicas podem ter quadro clínico muito semelhante, tanto mais que muitas vezes se associam. Contudo, pela natureza mais inesperada do respectivo desencadeamento, as dermites alérgicas tendem a ter uma expressão mais aguda e inflamatória do que as dermites irritativas – naquelas predomina o eritema, por vezes edema, pápulas, vesículas e exsudação, acompanhadas de prurido, localizando-se nas áreas de contacto com o alergénio; nas dermites irritativas, o componente inflamatório bem como o prurido são, habitualmente, menos intensos, o eritema é mais discreto e predomina a descamação, por vezes com fissuras.
O diagnóstico dos eczemas de causa externa é, essencialmente, clínico e, para além do aspecto puramente morfológico das lesões, assenta numa cuidadosa colheita de história, na localização das lesões e na execução de provas epicutâneas (ou de contacto) para o despiste e diagnóstico etiológico de possíveis alergénios implicados.

raloxifeno-oral

Terapêutica tópica (Eczemas de Causa Externa)

É suficiente na maioria das situações de eczema.
• Os corticosteróides são os fármacos de eleição. Na fase aguda devem ser utilizado em creme, sendo aconselhável começar por corticóides mais potentes, por períodos que não ultrapassem, em regra, os 7-10 dias (a aplicação lxdia é suficiente), passando, de seguida, a corticóides de grupos menos potentes ou a aplicações mais intervaladas (2-3xsemana), alternando com cremes emolientes. Este cuidado deve ser redobrado quando se trata de eczemas na face ou em crianças. Nas situações menos agudas, em que predomina a descamação e fissuração, como sucede por exemplo nas dermites secas das mãos, torna-se aconselhável o recurso a tópicos com maior teor de gordura, como são as pomadas (emulsões A/O), as quais devem ser aplicadas à noite, mantendo a utilização de emolientes durante o dia.
• Os antibióticos tópicos têm indicação, em associação ou alternância com os corticóides, quando houver evidência ou suspeita de infecção secundária. Poderá útilizar-se o fusidato de sódio, a bacitracina, mas convém evitar a neomicina, pela elevada capacidade de sensibilização deste antibiótico.
Os imunomoduladores tópicos (inibidores da calcineurina) – tacrolimus e pimecrolimus – podem ser utilizados, sobretudo em fase subaguda ou crónica, por exemplo nos eczemas das mãos. Na nossa experiência, contudo, têm-se mostrado de menor utilidade que no EA.
Os anti-histamínicos, por razões já expostas (ver “Eczema Atópico”), não têm interesse nem indicação na terapêutica tópica do eczema.

Disidrose 180x180 - Patogenia (Eczemas de causa externa)

Patogenia (Eczemas de causa externa)

As dermites de contacto irritativas resultam da agressão directa sobre a pele de substâncias irritantes; estas, por definição, são aquelas que, desde que actuem em concentração e por tempo suficientes, desencadeiam reacção em todos os indivíduos. São sobretudo substâncias químicas como solventes, detergentes, ácidos e álcalis fracos, produtos oxidantes e outros; contudo, as agressões físicas e mecânicas como frio, vento, pressão, fricção e atrito contribuem também para o desencadeamento e a manutenção deste tipo de eczemas.
Nas dermites de contacto alérgicas, a patogenia é diferente e pressupõe um mecanismo imunoalérgico de tipo IV, retardado, mediado por linfócitos T. É desencadeado por substâncias químicas de baixo peso molecular (alergénios incompletos – haptenos), em regra não agressivas para a pele e podem ser da mais variada natureza – substâncias de uso profissional, medicamentos tópicos, cosméticos, substâncias utilizadas no calçado ou no vestuário, etc. Esta hipersensibilidade pode desenvolver-se após os primeiros contactos com a pele ou ao fim de anos.

hand eczema1348715395739 180x180 - Eczemas de Causa Externa (De Contacto)

Eczemas de Causa Externa (De Contacto)

Os eczemas de causa externa ou de contacto podem ser irritativos ou traumáticos (eczemas ou dermites de contacto irritativas), alérgicos (eczemas ou dermites de contacto alérgicas) ou agravados pela luz (fotodermatites de contacto irritativas ou alérgicas).
Constituem uma patologia muito frequente nas consultas de dermatologia. As mãos são uma das localizações preferenciais, pela exposição a que estão sujeitas às agressões exógenas. O eczema das mãos afecta mais de 2% da população e mais de 20% das mulheres sofrem de eczema das mãos em alguma altura da vida.
A maioria dos eczemas de causa externa são de tipo irritativo, mas com frequência associam-se os dois tipos de factores, irritativos e alérgicos.