Artigos

desvio septo nasal 180x180 - Furunculose (Fossas Nasais)

Furunculose (Fossas Nasais)

Abcesso de um folículo piloso, que se manifesta por massa extremamente dolorosa. Deve ser feita antibioterapia sistémica e se necessário drenagem cirúrgica do abcesso. Pode ter complicações potencialmente fatais como a trombose do seio cavernoso. Deve tomar-se particular atenção em doentes diabéticos.

F1.large 3 180x180 - Hematoma Septal

Hematoma Septal

Está geralmente associado a traumatismo nasal e manifesta-se por obstrução nasal de grau variável. Exige rápida drenagem do hematoma e antibioterapia profiláctica. Se houver necrose da cartilagem septal, com consequente perfuração septal, pode originar deformidade nasal e epistaxe recorrentes.

procedimentos 180x180 - Cirurgia (Glaucoma Agudo)

Cirurgia (Glaucoma Agudo)

Iridotomia de urgência, através da qual se cria um orifício de drenagem que permite aliviar a pressão intra-ocular. Este procedimento pode ser realizado mediante recurso ao laser.
Em alternativa, esta técnica pode ser realizada após a resolução da crise aguda, para evitar recorrências ou em doentes com glaucoma crónico que não respondem ao tratamento.

amebiase 1024x768 180x180 - Drenagem do Pus (Amebíase)

Drenagem do Pus (Amebíase)

Por vezes, é necessário proceder à aspiração percutânea do abcesso amebiano do fígado.
Esta manobra está indicada nos abcessos simples que quer pela sua dimensão, quer pela sua localização estejam em risco de ruptura, ou ainda naquelas situações de ineficácia da terapêutica medicamentosa.
Para evitar complicações, deve sempre executar-se a punção sob cobertura amebicida.
A drenagem cirúrgica dos abcessos é utilizada nas situações em que a aspiração não é exequível, ou é ineficaz, e nas situações de ruptura eminente, particularmente no abcesso do lobo esquerdo do fígado.

20090829104903 180x180 - Pneumotórax Iatrogénico

Pneumotórax Iatrogénico

Assintomático e de pequena dimensão, normalmente resolve espontaneamente e não necessita de tratamento. Se de maior dimensão ou sintomático, a simples aspiração manual (exsuflação) ou colocação de drenagem torácica resolve habitualmente a situação.

Abscesso Periamigdaliano Caso3 11 180x180 - Abcesso Periamigdalino

Abcesso Periamigdalino

Manifesta-se por odinofagia, disfagia e trismo, na sequência de uma amigdalite aguda.
Deve ser feita drenagem e antibioterapia para resolução do quadro agudo. Tem indicação para amigdalectomia após 6 semanas. A evolução do quadro clínico para abcesso cervical é potencialmente fatal.

Imagem 239 180x180 - Paralisia Facial Associada a Otite Média Aguda ou Crónica

Paralisia Facial Associada a Otite Média Aguda ou Crónica

Exige observação imediata por um otorrinolaringologista. A terapêutica é geralmente cirúrgica, para descompressão do nervo e drenagem da infecção.

foto 101 180x180 - Furunculose

Furunculose

Infecção geralmente a Staphylococcus de um folículo piloso do CAE. Manifesta-se por otalgia severa. Deve medicar-se com creme local antibiótico tópico (por exemplo, ácido fusídico), flucloxacilina oral e analgésico. Pode ser necessário drenagem cirúrgica. Nos doentes diabéticos deve ser feita uma vigilância apertada da evolução do quadro clínico.

f5aa26 Rubeosis iris 180x180 - Classificação do Glaucoma

Classificação do Glaucoma

—> Primário (causa desconhecida) – ângulo aberto, ângulo fechado ou congénito.
—> Ligado ao desenvolvimento – anomalias do desenvolvimento, anomalias na rede de drenagem trabecular.
—> Secundário – condição que determina uma elevação secundária da pressão intra-ocular:
• Inflamação (uveíte, esclerite, queratite).
• Trauma (contuso ou penetrante).
• Hemorragia intra-ocular.
• Doenças sistémicas (amiloidose, diabetes mellitus, doença tiroideia).
O glaucoma de ângulo fechado é a forma mais comum de apresentação como urgência, dado o rápido início e as dores que desencadeia.

f5aa26 Rubeosis iris 180x180 - Causas e Riscos (Glaucoma Agudo)

Causas e Riscos (Glaucoma Agudo)

– Factores mecânicos (bloqueio à normal drenagem do humor aquoso).
– Factores vasculares (menor irrigação da retina e nervo óptico, por factores locais e/ou gerais).
Nas formas crónicas, o glaucoma evolui de modo silencioso e lento, comprometendo primeiro a visão periférica e, só tardiamente, a visão central.
O glaucoma pode resultar do processo de envelhecimento: o cristalino aumenta de volume e estreita o ângulo entre a íris e córnea. Quando o bloqueio é completo, a pressão intra-ocular aumenta e os sintomas instalam-se rapidamente.
O uso de gotas midriáticas (dilatam a pupila) pode precipitar um episódio de glaucoma agudo, razão pela qual este quadro se pode instalar ao fim do dia, quando a luz é mais ténue e as pupilas estão mais dilatadas.
Outros factores de risco: idade avançada, hipermetropia, história familiar, stress e o uso de agentes anticolinérgicos sistémicos (atropina).