Artigos

rim 1 180x180 - Fatores de risco -  Doença obstrutiva

Fatores de risco – Doença obstrutiva

Qualquer agravamento inesperado na progressão da DRC deve levar-nos a excluir doença obstrutiva com ecografia ou uro-TC (TC dirigida ao aparelho urinário, sem administração de contraste iodado), por forma a planear com a urologia a estratégia para correção dessa obstrução. São hipóteses frequentes uma litíase renal em rim único ou num rim predominante, barragem pós-vesical por patologia prostática no homem ou pélvica na mulher.

maxresdefault

Eco-Doppler (Duplex scan) e Índice de Resistividade Renal

O IR (índice de resistividade) pode ser calculado durante uma ecografia renal, utilizando o Doppler duplex, de acordo com a fórmula: IR – ([velocidade sistólica máxima]- [velocidade diastólica mínima])/[velocidade sistólica máxima]. 0,70 é considerado o limite superior do normal; valores superiores são indicadores de obstrução. O mesmo acontece se um dos rins tiver um índice de 0,1 superior ao contralateral. E. no entanto, um assunto ainda controverso.

Entamoeba histolytica 01 180x180 - Quadro Clínico (Amebíase)

Quadro Clínico (Amebíase)

Vários quadros clínicos podem ser descritos. Formas clínicas intestinais (disentéricas ou não) e extra-intestinais.
– Disenteria amebiana – o período de incubação é, geralmente, de 8 a 10 dias.
Cólicas abdominais, tenesmo, náuseas, diarreia muco-sanguinolenta.
– Abcesso amebiano do fígado – o período de incubação é variável, podendo prolongar-se por vários anos, o que justifica uma presunção de diagnóstico mesmo fora das áreas endémicas. O abcesso amebiano do fígado é diagnosticado, a maioria das vezes, em doentes sem queixas do foro gastrenterológico; contudo, em cerca de 50% dos casos, existe uma história prévia de diarreia.
Diagnóstico:
• Ecografia, TC, estudos hematológicos, estudos imunológicos, cintigrafia, radiografia do tórax, estudo do pus do abcesso, RM, peritoneoscopia.
• Dor no hipocôndrio direito, hepatomegalia, febre, subicterícia.
– Outras localizações – as amibas, a partir do foco de desenvolvimento primário, podem também metastizar para outros órgãos como o pulmão, o cérebro e o baço. Para além da propagação da infecção por via hematogénea, a extensão pode efectuar-se por contiguidade, a partir do intestino, para outros órgãos e para a pele. Amebíase Intestinal – Diagnóstico: pesquisa de trofozoítos a fresco; raspado ou zaragatoa das úlceras; pesquisa de quistos; clister opaco; endoscopias c/s biópsias; cultura das fezes.

diagnóstico hipotiroidismo cuidatutiroides 180x180 - Diagnóstico da Tiroidite Linfocítica

Diagnóstico da Tiroidite Linfocítica

– Laboratório:
• Anticorpos antitireoglobulina e antimicrossomais (ATg e ATm).
A principal característica da tiroidite auto-imune é a presença de anticorpos antitiroideus. Os ATg estão presentes em 60% dos doentes com bócio, hipotiroidismo ou ambos e os ATm estão presente em 95% destes casos.
• TSH, T3 e T4 – inicialmente existe um aumento da TSH com T3 e T4 normais, posteriormente ocorre uma redução da T4 com manutenção da T3 e, finalmente, uma redução da T3 e T4.
– Imagiologia:
• A ecografia mostra uma tiroideia normalmente aumentada de tamanho, com um padrão hipoecogénico difuso.
• GGT com padrão extremamente variável, podendo assemelhar-se à doença de Graves, BMN ou podendo evidenciar um nódulo hiper ou hipofixante.
A imagiologia raramente é necessária em doentes com suspeita de tiroidite auto-imune.
—> Citologia:
Pode-se efectuar citologias em casos de nódulos suspeitos ou nos casos de um crescimento rápido da tiroideia.

Como tratar candidíase 1 180x180 - Hemorragia Disfuncional

Hemorragia Disfuncional

Hemorragia uterina sem causa orgânica, numa mulher não grávida.
Dado que o diagnóstico de HD é feito por exclusão, há que fazer uma anamnese minuciosa, um exame clínico cuidadoso e complementá-los com análises, ecografia pélvica e se necessário histeroscopia com biopsia.

saude oftalmologia jundiai 02 180x180 - Exame Oftalmológico Essencial (Oclusão Arterial)

Exame Oftalmológico Essencial (Oclusão Arterial)

— Acuidade visual.
— Estudo da retracção.
— Avaliação da visão cromática.
— Estudo da motilidade ocular.
— Estudo dos reflexos pupilares.
— Biomicroscopia.
— Tonometria.
— Oftalmoloscopia.
— Ecografia.
— Retinografia.

tendinopatia1 180x180 - TENDINITE E BURSITE AQUILIANA

TENDINITE E BURSITE AQUILIANA

A tendinite e a bursite aquiliana resultam, respetivamente, da inflamação do tendão de Aquiles ou das bolsas serosas adjacentes. Devem-se essencialmente a microtraumatismos crónicos e repetidos, por vezes associados ao uso de calçado inadequado. As doenças reumáticas inflamatórias (artrite reumatóide, espondilartrites seronegativas) e metabólicas (por exemplo, gota úrica) também podem originar este tipo de manifestações.
Traduzem-se clinicamente por talalgias posteriores ao nível do tendão de Aquiles, desencadeadas pela marcha ou atividade física excessiva e agravam-se pela dorsiflexão do pé e pela pressão local ao nível da inserção calcaneana do tendão ou áreas circundantes,
Existe, geralmente, espessamento e edema do tendão e das áreas adjacentes A tumefacção é mais evidente nas bursites.
A ecografia e importante para a confirmação diagnostica.