Artigos

0010545058N 1920x1280 180x180 - Aparelhos de Tratamento

Aparelhos de Tratamento

Os equipamentos usados para administração dos tratamentos são por excelência os aceleradores lineares. Estes podem também ser designados genericamente por aparelhos de teleterapia de megavoltagem. Neles são produzidos feixes de electrões de alta energia, que podem ser utilizados directamente ou transformados internamente em feixes de fotões.

sincrociclotroni protonterapie tavoli posizionamento robotizzati 70440 125603 180x180 - Protonterapia

Protonterapia

Os protões são uma forma de radiação com partículas, cujas possibilidades de uso clínico têm sido investigadas nos últimos anos. Os protões são administrados da mesma forma que os fotões e electrões, mas os equipamentos utilizados são ainda bastante complexos para uma utilização clínica de rotina, embora o número da aparelhos instalados esteja a aumentar de forma significativa. As áreas clínicas em que a protonterapia tem sido usada com resultados promissores são os tumores uveais, sarcomas da base do crânio e carcinomas da próstata, estando em curso estudos da sua aplicação em tumores de pulmão de não pequenas células, hepatomas e tumores dos seios perinasais.

ACELERADOR LINEAR 708332 180x180 - Acelerador Linear

Acelerador Linear

Equipamento de eleição para administrar tratamentos de RT externa. Deve dispor idealmente de duas ou mais energias de fotões, para tratamentos profundos, e diversas energias de electrões, para tratamentos mais superficiais. Este equipamento é composto por sofisticados sistemas de produção e controlo de administração de radiação, equipamentos para posicionamento do doente, localização e verificação dos campos de irradiação. Ao acelerador linear estão associados:
—> Uma mesa de tratamento específica, onde o doente é posicionado.
—> Um sistema de lasers de localização.
—> Um sistema electrónico de aquisição de imagens em tempo real do campo irradiado.
—> Um sistema de vídeo em circuito fechado para vigilância do doente durante o tratamento.
—> Um equipamento computorizado de comando.
Inerente ao acelerador linear está um mecanismo de dimensionamento de campos, designado de sistema de colimação. Este sistema é composto por dois pares de blocos metálicos alongados, orientados perpendicularmente entre si e que permitem adequar o tamanho do campo de irradiação a cada tratamento. Dado que este sistema só permite campos rectangulares, outro sistema é necessário para conformar os campos de tratamento o mais possível às aplicações reais. Os sistemas actuais possuem para esse efeito um segundo sistema de colimação, composto por múltiplas (80 a 120) pequenas lâminas motorizadas, que permitem o tratamento de campos irregulares.
Ainda como parte integrante do acelerador linear, está o sistema de verificação de campos.
Este consiste num sistema de detecção de radiação, posicionado em face do feixe de radiação e com o doente em posição de tratamento, permitindo verificar num sistema computorizado a adequação entre os campos irradiados e os campos planeados. Mais recentemente estes equipamentos evoluíram para a chamada ‘imagem Volumétrica”, em que é possível adquirir no acelerador linear, em posição de tratamento, imagens idênticas às de uma TC, o que, por comparação com as imagens de planeamento, permitem um detalhe extremo na localização dos campos e estruturas a irradiar. Estes sistemas são vulgarmente designados por Radioterapia Guiada por Imagem ou IGRT (do inglês image guided radiation therapy).