Artigos

Herpes labialis   opryszczka wargowa 180x180 - Cuidados locais (Herpes simples e Genital)

Cuidados locais (Herpes simples e Genital)

Como referido, nalguns casos de herpes recidivante escassamente sintomáticos, a terapêutica local poderá ser suficiente. Contudo, e em especial nos casos de primo-infecção, poderão justificar-se outras medidas de carácter genérico e de suporte – administração de analgésicos ou AINEs, medidas locais calmantes como a aplicação de compressas frias embebidas em soro ou soluto de ácido bórico, aplicação de gel anestésico local (tetracaína), aplicação de antimicrobianos tópicos para evitar sobreinfecção das lesões e outras medidas que se mostrem adequadas em cada caso individual.

DrugItem 9996 180x180 - Neurontin e genérico

Neurontin e genérico

-> GBP – neurontin e genérico – cápsulas de 100, 300, e 400 mg e comprimidos de 600 e 800 mg.
• Indicação – como coadjuvante da terapêutica das crises parciais com e sem generalização. É pouco usado como AE, por baixa eficácia.
• Mecanismo de ação – gabaérgico.
• Metabolismo e excreção – tem absorção saturável dependente da dose, não sofre metabolização hepática e é excretada pelo rim.
• Administração – a dose pode oscilar entre 1200-2400 mg/dia, divididas em 3 tomas
• Efeitos adversos e interações – os principais efeitos secundários são sonolência, fadiga, tonturas, ataxia e aumento de peso. Não interage com outros medicamentos, apenas os antiácidos reduzem ligeiramente a sua biodisponibilidade.

lamictal 180x180 - Lamictal e genérico

Lamictal e genérico

-> LTG – lamictal e genérico – comprimidos de 25, 50 e 100 mg.
• Indicação – é um AE de largo espectro para crises parciais e generalizadas.
• Mecanismo de ação – atua principalmente sobre os canais de sódio.
• Metabolismo e excreção – tem metabolização e excreção hepática mas não pelo sistema do citocromo P450.
• Administração – o cuidado que é necessário ter na titulação, para não desencadear reações acessórias graves, dificulta o manejo desta substância, no entanto, ultra- passada esta fase é um AE cómodo de administrar, uma vez que a longa semivida permite a administração em 2 tomas diárias. Nos adultos, em monoterapia devemos iniciar o tratamento com 25 mg/dia e duplicar a dose até 300-600 mg/dia; em associação com VPA devemos iniciar apenas com 12,5 mg/dia, na 2.a semana aumentar para 25 mg/dia e depois (lxsemana) aumentar 25 mg por semana até encontrar a dose eficaz. Em doentes a fazer ISE, a dose inicial é de 25 mg/dia e pode ser aumentada semanalmente até 600-1200 mg/dia.
• Efeitos adversos e interações – São por vezes referidos, nos aumentos de dose, tonturas, cefaleias e irritabilidade. Sendo o VPA inibidor do metabolismo da LTG, prolonga-lhe muito a semivida aumentando a probabilidade de efeitos secundários graves, nomeadamente eritema maculopapular, síndrome de Stevens-Johnson ou epidermólise necrotizante. Na associação com CBZ, podem surgir sintomas de intoxicação (tonturas, náuseas, diplopia) que melhoram com a redução de 10% da dose de CBZ. Os CO reduzem a semivida da LTG.

DrugItem 10804 180x180 - Topamax e genérico

Topamax e genérico

-» TPM – topamax e genérico – cápsulas de 15, 25 e 50 mg; comprimidos de 25, 50, 100 e 200 mg.
• Indicação – é um AE de largo espectro, indicado no adulto para o tratamento da epilepsia generalizada e parcial, com ou sem generalização secundária, em mono ou politerapia.
• Mecanismo de ação – possui múltiplos mecanismos de ação, nomeadamente bloqueio dos canais de sódio dependentes da voltagem, inibição dos recetores kainato do glutamato, inibição da anidrase carbónica eritrocitária, sendo ainda gabaérgico.
• Metabolismo e excreção – é metabolizado no fígado pelo sistema do citocromo P450, mas é sobretudo excretado pelo rim.
• Administração – a semi-vida longa (18-24 horas) permite a administração em 2 tomas diárias. O início da terapêutica deve ser feito com a menor dose possível para não precipitar efeitos secundários. Nos adultos inicia-se o tratamento com 25 mg, aumentando semanalmente 25 mg. A dose de controlo é habitualmente 200-400 mg. Em associação, as doses ideais são menores.
• Efeitos adversos e interações – as ações indesejáveis mais comuns são sonolência, irritabilidade, fadiga, emagrecimento, diminuição da atenção e confusão, psicose, parestesias, nefrolitíase (cálculos de fosfato de cálcio), glaucoma de ângulo aberto, hipo-hidrose e muito raramente acidose metabólica. Quando surgem efeitos acessórios, o incremento deve ser protelado ou a dose ligeiramente diminuída. Em doses iguais ou superiores a 200 mg diminui os níveis dos CO. Aumenta os níveis de PHT provavelmente por inibição da CYP2C19. Os ISE induzem a metabolização de TPM.