Artigos

remedio 180x180 - Tratamento (Anemia Aplástica)

Tratamento (Anemia Aplástica)

– Referenciar urgentemente para serviço de Hematologia.
– Parar de imediato fármacos suspeitos ou factores de agravamento.
– Iniciar estudo de histocompatibilidade com fratria, se a aplasia for grave ou muito grave e doente de idade inferior a 40 anos.
– A base do tratamento na maior parte dos doentes é o tratamento imunossupressor- ciclosporina A associada a globulina antitimócito – associado a G-CSF.
– Transfusões de concentrado eritrocitário e plaquetário usadas cautelosamente (risco de aloimunização e de compromisso de resultado em caso de transplantação).

doar sangue 180x180 - Tratamento (Talassemias)

Tratamento (Talassemias)

A talassemia minor não deve ser considerada como patologia, nem é causa de sintomas (se existem, há que procurar outras causas); não exige tratamento nem vigilância.
Só indicado nas formas graves e dependentes de transfusão (talassemia intermédia ou major) e pode incluir suporte transfusional de concentrado eritrocitário, quelantes de ferro em caso de hemossiderose transfusional, esplenectomia e transplante medular alogénico; estes casos devem ser tratados em serviços de hematologia.

12 06 11 37 pic02 180x180 - Acessos Vasculares

Acessos Vasculares

O tratamento médico da doença oncológica, tradicionalmente baseado na administração de fármacos citostáticos por via e.v., exige acessos vasculares duradouros e de confiança.
Por outro lado, algumas modalidades de tratamento – transplantação de progenitores hematopoiéticos, infusões longas de citostáticos, ou de suporte – alimentação parentérica, exigem longos períodos de infusão de produtos com características tóxicas para o endotélio vascular. Para dar resposta a estas necessidades foram desenvolvidos uma série de dispositivos médicos para acesso ao espaço vascular – cateteres venosos. Em oncologia e hematologia oncológica são usados em especial os cateteres com trajecto tunelizado no tecido celular subcutâneo e os que estão dotados de câmara subcutânea para administração de citostáticos – os mais usados em doentes ambulatórios e que são objecto desta secção.
Os cateteres com câmara subcutânea são colocados habitualmente sob anestesia local, sem necessidade de internamento; as complicações que resultam da sua colocação e utilização são as gerais de todos os tipos de cateteres centrais e são revistas adiante.
Não implicam restrição de qualquer tipo na vida do doente, exigem manutenção periódica (idealmente mensal) para flush de soro e soluto com heparina para prevenir a trombose do lúmen. Permitem geralmente a colheita de sangue pelo cateter, devem ser puncionados (a membrana da câmara) com agulha apropriada (em ângulo recto, agulha de Huber) e a sua taxa de infecção é inferior à associada aos cateteres externos. São generalizadamente considerados como um dos factores que contribuem significativamente para a qualidade de vida dos doentes oncológicos.