Artigos

F1.large 2 180x180 - Hemibalismo

Hemibalismo

O hemibalismo consiste em movimentos involuntários dos membros, unilaterais, de predomínio proximal, violentos e com carácter de arremesso. Os membros superiores estão mais frequentemente envolvidos e o compromisso axial é raro. É frequente a associação com movimentos coreicos, o que condiciona o facto de alguns autores incluírem as duas entidades no mesmo espectro de movimentos involuntários hipercinéticos.
Etiologia. A causa mais frequente de hemibalismo são os enfartes isquémicos ou hemorrágicos do núcleo subtalâmico contralateral. Contudo, qualquer lesão estrutural independentemente da sua natureza (inflamatória, infeciosa, neoplásica, auto-imune, traumática, etc), envolvendo o núcleo subtalâmico, estriado, Pallidum, substância nigra ou tálamo, pode ser causa de hemibalismo.

F1.large 2 180x180 - Terapêutica (Hemibalismo)

Terapêutica (Hemibalismo)

A abordagem terapêutica deve ter em atenção dois aspetos da sua história natural: na fase aguda, a exuberância dos movimentos pode provocar lesões osteoarticulares, cutâneas ou mesmo exaustão física; o quadro clínico tende a melhorar espontaneamente ou mesmo remitir num período de 6 a 12 meses.
—> Terapêutica não farmacológica – consiste em medidas de suporte para evitar outras complicações médicas: boa higiene cutânea, prevenção da aspiração do vómito, prevenção da automutilação acidental e suporte nutricional (dieta hipercalórica).
-» Terapêutica farmacológica – consiste no tratamento da doença causal e na intervenção sintomática sobre o hemibalismo. A raridade dos quadros de hemibalismo dificulta a existência de ensaios clínicos controlados. Assim, com base nos dados de séries de doentes publicados, são sugeridas as seguintes terapêuticas:
• Clorpromazina (largactil comprimidos 25 mg, 100 mg, gotas 4%, largatrex comprimidos 25 mg, 100 mg, gotas 4%). Dose de manutenção: 75-200 mg/dia tid. Deve ser considerada a diminuição da dose ou suspensão após 3 a 6 meses de tratamento.
• Haloperidol (haldol comprimidos 1 mg, 2 mg, 5 mg, 10 mg, solução oral 2 mg/ml, serenelfi comprimidos 1 mg, 5 mg, solução oral). Dose de manutenção: 3 a 12 mg/dia bid ou tid. Deve ser considerada a diminuição da dose ou suspensão após 3 a 6 meses de tratamento.
• Clozapina (leponex comprimidos 25 mg, 100 mg, clozapina MG). Dose de manutenção: 50-75 mg/dia. Contra-indicações: doença mieloproliferativa, epilepsia e em associação com outros fármacos com efeito supressor sobre a medula óssea. Efeitos adversos: agranulocitose (exige a realização de hemograma semanal nos primeiros 6 meses e posteriormente quinzenal), sedação, hipotensão ortostática, convulsões.
Estão reportados casos de melhoria com clozapina em doentes previamente tratados de forma ineficaz com haloperidol.
• Tetrabenazina (nitoman 25 mg). Dose de manutenção: 12,5 a 75 mg/dia tid.
Terapêutica cirúrgica. Estão descritos casos de melhoria, em doentes refratários à terapêutica farmacológica, com a talamotomia ventrolateral e estimulação talâmica.