Artigos

problemas de incontinencia11 180x180 - Incontinência Urinária

Incontinência Urinária

– Incontinência urinária – devem excluir-se infeções do trato urinário ou hiperplasia prostática e pode ser necessário realizar uma avaliação urodinâmica. Esvaziar com frequência a bexiga, reduzir a ingestão de líquidos à noite, ter uma micção imediatamente antes de deitar e se necessário colocar fralda durante a noite são conselhos úteis para estes doentes. A maior parte dos casos de incontinência pós-AVC resulta de uma hiperatividade da bexiga (hiperreflexia do detrusor) ou desinibição do relaxamento do esfíncter vesical, podendo beneficiar de anticolinérgicos (oxibutinina, 5 mg, 1 a 3xdia; imipramina, 25-75 mg/dia); tolterodina, 25 mg, 1/2 a 1,2xdia, ou antiespasmódicos (flavoxato, 200 mg, 1 a 3xdia). Estes medicamentos devem ser evitados nos doentes com hipertrofia da próstata ou glaucoma e podem ter vários efeitos secundários indesejáveis tais como sonolência, confusão ou agitação, secura das mucosas, náuseas ou obstipação. Noutros casos existe dissinergia do esfíncter vesical, que não relaxa quando existe contracção do detrusor ou aumento do termo do esfíncter vesical, podendo ser útil a administração de antagonistas dos recetores alfa-l-adrenérgicos (alfuzosina, 2,5 mg, 1 a 3xdia; tamsulosin, 0,4 mg de manhã). Os bloqueadores alfa-adrenérgicos podem causar hipotensão ou síncope e arritmias.

NUEVO Gonadotrofina Corionica 180x180 - Substituição de Gonadotropinas

Substituição de Gonadotropinas

– Sexo feminino – substituição estrogénica/progestagénica
Estradiol oral 1 a 2 mg/dia, estradiol transdérmico 0,05-0,1 mg/dia ou estrogénios conjugados: 0,3 a 1,25 mg/dia (por exemplo, 0,625 mg/dia primeiras 3 semanas).
Alivia os sintomas vasomotores, previne a osteoporose e mantém as características sexuais secundárias.
Deve-se sempre conjugar um progestagénio como, por exemplo medroxiprogesterona, 5 a 10 mg, intercalado com o estradiol (3 semanas de estradiol e 1 semana de medroxiprogesterona, seguida de uma semana de menstruação) para evitar a hiperplasia do endométrio.
– Sexo masculino – substituição androgénica
Enantato de testosterona 100 mg/semana ou 200 mg/2 semanas ou 300 mg a cada 3 a 4 semanas, i.m. ou testosterona transdérmica.
Permite restaurar a libido, previne a osteoporose, aumenta o crescimento dos pelos e barba, e aumenta a força muscular e o bem-estar geral.
Deve-se iniciar o tratamento com 50 mg, aumentando a dose a cada 2 semanas, através do doseamento da testosterona sérica, avaliada imediatamente antes da administração. Manter vigilância do hemograma, função hepática e PSA.

Dscn2604  180x180 - Diagnóstico (Trombocitemia Essencial)

Diagnóstico (Trombocitemia Essencial)

— Idade média no diagnóstico é de 60 anos.
— Risco de progressão para leucemia aguda é de 3-5%.
— Ocorrência de trombose arterial ou venosa, de pequenos ou grandes vasos; o risco aumenta com idade, co-morbilidades (HTA, diabetes, etc), duração da doença.
— Pode manifestar-se com eritromelalgia, geralmente de pés.
– A hemorragia é uma manifestação que habitualmente surge com plaquetas > 1000000 e deve-se a deficiência adquirida de multímeros de alto peso molecular do factor von Willebrand.
— Esplenomegalia pode estar presente em 50% dos doentes.
— Os critérios de diagnóstico (classificação OMS, revisão 2007) incluem obrigatoriamente quatro pontos.
• Plaquetas >450000;
• Biopsia medular com hiperplasia megacariocítica com megacariócitos maduros e de volume aumentado;
• Ausência de critérios para o diagnóstico de policitemia vera, leucemia mieloide crónica, mielofibrose, mielodisplasia;
• Demonstração de mutação em JAK2.
Cerca de 50-60% dos casos têm mutação no gene JAK2 (a primeira mutação identificada é V617F, mas outras vêm sendo descritas).

Amoebic dysentery in colon biopsy 1 180x180 - Apresentação Clínica (Isosporiose)

Apresentação Clínica (Isosporiose)

No contexto da infecção por VIH, origina geralmente um quadro de diarreia subaguda ou crónica que se estabelece após um período de incubação de cerca de 1 semana. As dejecções são frequentes e as fezes líquidas a aquosas, podendo originar disenteria, associando-se, com frequência, a mal-estar geral, cólicas abdominais e perda de peso, mas raramente decorrendo com febre. Ao nível do intestino delgado há atrofia das vilosidades, hiperplasia das criptas e infiltrado inflamatório predominantemente eosinofílico da lamina própria. Quando arrastada, a doença pode condicionar síndrome de mal-absorção. Estão descritos casos raros de envolvimento extra-intestinal ao nível das vias biliares como causa de colecistite alitiásica.

prostate04 180x180 - HIPERPLASIA PROSTÁTICA

HIPERPLASIA PROSTÁTICA

É comum no homem a partir dos 50 anos, podendo ser responsável por obstrução infravesical grave. Acompanhada muitas vezes por quadros de retenção urinária crónica que podem levar a insuficiência renal.

acne 180x180 - Acne

Acne

A acne resulta da inflamação dos folículos pilosos e glândulas sebáceas, com retenção de sebo, evoluindo por surtos, sob influência hormonal. É geneticamente determinada, tem maior incidência na juventude e na sua etiopatogenia estão implicados quatro factores principais:
-> Hiperplasia sebácea com consequente seborreia, por acção de estímulos androgénicos sobre as glândulas sebáceas, entendendo-se como importante o efeito no órgão alvo e não especificamente os níveis circulantes de hormonas.
—> Hiperqueratose do infundíbulo piloso, a qual condiciona o encerramento folicular.
—> Colonização bacteriana pelo Propionibacterium acnes e Staphylococcus albus, com consequente inflamação folicular (directamente por acção bacteriana ou resultante da capacidade irritante dos ácidos gordos libertados pelo microrganismo).
—> Reacção inflamatória/imunitária, com libertação de vários mediadores da inflamação.
Sendo a clínica da acne sobejamente conhecida, não nos debruçaremos sobre a mesma.

cancer2 180x180 - Carcinoma da Próstata

Carcinoma da Próstata

Tal como a hiperplasia da próstata e por mecanismos muito semelhantes, o carcinoma da próstata pode condicionar obstrução grave do colo vesical.
Casos há em que a obstrução pode ter origem na coexistência sinérgica das duas situações- hiperplasia da próstata mais carcinoma.