Artigos

piolho 180x180 - Pediculose Capitis

Pediculose Capitis

É a infestação do couro cabeludo pelo piolho da cabeça. O parasita é hematófago e alimenta-se no couro cabeludo e região cervical, depositando os ovos nos cabelos.
Pode ocorrer em qualquer grupo etário, mas é mais frequente nas crianças e no sexo feminino, pois o cabelo comprido das raparigas não só dificulta o tratamento como facilita a transmissão. Existem ainda factores individuais (atópicos?) que facilitam a infestação, uma vez que é comum a observação, no mesmo agregado familiar, de crianças que estão frequentemente infestadas a par de outras que raramente o estão. A transmissão faz-se através de chapéus, bonés, pentes e escovas, ou pelo contacto cabeça com cabeça.
Pode ser assintomática, mas na maioria dos casos provoca prurido acentuado nas regiões occipital e temporais. Podem observar-se escoriações e infecção secundária, associada com linfadenopatias occipitais e/ou cervicais.
No exame objectivo podem observar-se piolhos, geralmente em pequeno número (<10) e, sobretudo, lêndeas; estas são ovos do piolho fêmea, ovais, de cor branca acinzentada e estão fixas às hastes do cabelo. Como complicações, em regra em situações arrastadas, pode existir eczema das regiões occipital e nuca (secundárias ao prurido e à coceira), escoriações, crostas e impétigo do couro cabeludo, que podem ocultar os piolhos e lêndeas, dificultando o diagnóstico, e pápulas urticariformes, nas faces laterais da região cervical e nuca, resultantes das picadas do parasita.

intestino irritavel 1 180x180 - Parasitoses Intestinais

Parasitoses Intestinais

As parasitoses intestinais (protozooses e helmintíases) incluem um grande grupo de doenças de importância muito variável. Em muitos países, são um problema para a saúde pública. A sua transmissão acontece através das comidas, bebidas e por contacto directo (solos, dedos, …). A terapêutica das protozooses é actualmente mais complicada que a das helmintíases.
Em qualquer caso, torna-se sempre importante detectar e eventualmente tratar a origem da infestação e muitas vezes repetir o esquema terapêutico nas 2 semanas seguintes.

piolho 1 180x180 - Pediculose Púbica

Pediculose Púbica

É uma infestação das áreas pilosas pelo Phthirius púbis. Predomina no púbis, mas pode atingir os pêlos do peito, axilas e pestanas. E mais frequente em adultos jovens, mas pode ocorrer em qualquer grupo etário. A transmissão faz-se por contacto físico estreito, nomeadamente relações sexuais ou pela partilha da mesma cama e utilização de roupas contaminadas.
Do ponto de vista clínico pode ser assintomática, ou causar prurido ligeiro a moderado durante meses. Objectivamente vêem-se os piolhos como pequenas manchas castanhas claras nas áreas pilosas, semelhando crostas aderentes à pele, e as lêndeas – ovos aderentes aos pêlos. Acessoriamente, podem ainda observar-se pápulas eritematosas urticariformes nos locais onde o piolho se alimenta, escoriações, liquenificação e impétigo, em doentes com muito prurido e as máculas cerúleas manchas azuis prateadas – que não desaparecem à vitropressão.
A área preferencialmente atingida é o púbis, mas todas as outras áreas pilosas, em especial nos homens, podem estar afectadas: axilas, períneo, coxas, pernas, tronco. Nas crianças, as pestanas e as sobrancelhas podem ser infestadas, sem haver envolvimento púbico.

pediculosis 1 020403 180x180 - Pediculose Corporis

Pediculose Corporis

É a infestação dos pêlos do corpo pelo Pediculus humanus var. corporis. Observa-se em indivíduos com más condições de vida, como os sem-abrigo, vagabundos e vadios.
O Pediculus corporis é vector do tifo exantemático e da febre recorrente. A transmissão faz-se através de roupas contaminadas ou contacto íntimo entre corpos.
Clinicamente o prurido é, muitas vezes, o único sintoma. Na observação vêem-se, em infestações recentes, máculas eritematosas de pequenas dimensões, no dorso e axilas. Posteriormente surgem escoriações principalmente no tronco, cintura, regiões glúteas e coxas. Nos casos crónicos de longa duração, existem escoriações, urticária e melanodermia. A impetiginização secundária e linfadenopatias ocorrem com frequência.
Os piolhos do corpo não se observam na pele, pelo que devem procurar-se nas pregas da roupa interior.

pediculose 180x180 - Pediculose

Pediculose

Pediculose é a infestação cutânea por parasitas da ordem Anoplura. Há apenas duas espécies de Anoplura cujo hospedeiro específico é o homem: o Pediculus humanus e o Phthirius púbis. O P. humanus var. capitis (piolho da cabeça) é morfologicamente muito semelhante ao P humanus var. corporis (piolho do corpo), mas originam quadros clínicos distintos.

sarcoptes galerias 180x180 - Patogénese (Escabiose)

Patogénese (Escabiose)

O prurido surge após sensibilização ao S. scabiei. Quando se trata da primeira infestação, a sensibilização pode levar 2-4 semanas a desenvolver-se. Porém, na reinfestação, uma vez que o indivíduo já está sensibilizado, o prurido pode surgir ao fim de 24-48 horas.
Os doentes imunodeprimidos ou com doenças neurológicas podem desenvolver formas particularmente exuberantes de sarna, designadas como sarna norueguesa ou crostosa.
Ao contrário do que acontece na escabiose vulgar, em que geralmente não há mais do que 10 ácaros infestantes, na sarna norueguesa estes podem exceder o milhão, pelo que são formas de extrema contagiosidade, por vezes apenas diagnosticadas quando surgem várias pessoas contagiadas no agregado do doente ou mesmo nos serviços de saúde onde estes doentes estão internados.
Clinicamente caracteriza-se por prurido intenso, disseminado, poupando apenas a cabeça, a região cervical e o dorso, o qual se agrava, caracteristicamente, durante a noite, causando distúrbios do sono. Na escabiose crostosa, mais de metade dos doentes não tem prurido.
A observação podem encontrar-se vários tipos de lesões:
—> Galerias intra-epidérmicas – acinzentadas ou da cor da pele, têm trajectos lineares ou serpiginosos, com cerca de 2-3 mm de comprimento, com pequena vesícula ou pápula na extremidade do túnel. As localizações mais frequentes são: bordos das mãos, faces laterais dos dedos, pregas interdigitais, punhos, cotovelos, bordo interno dos pés e genitais masculinos.
—> Pápulas pruriginosas à volta das axilas, na região peri-areolar, no abdómen, circundando o umbigo, nas coxas e regiões glúteas.
—» Vesículas e vesico-pústulas nas palmas e plantas, em crianças até aos 2 anos.
—> Nódulos eritematosos ou eritemato-acastanhados (nódulos escabióticos) de superfície lisa. Localizam-se preferencialmente no pénis, escroto, axilas, cintura, nádegas e aréola mamária. Podem permanecer semanas ou meses após a escabiose ter sido tratada eficazmente.
—> Lesões eczematiformes e impetiginização podem surgir secundariamente ao prurido.
O diagnóstico é fundamentalmente clínico. Em caso de dúvida, o exame microscópico de escamas retiradas de pápulas ou de galerias e examinadas sob óleo de imersão permite visualizar o ácaro, ovos ou fezes.