Artigos

tiroide 180x180 - Tiroideia

Tiroideia

A tiroideia é um órgão com cerca de 15-20 g nos adultos e 2×2,5×4 cm de diâmetro.
O iodo inorgânico é rápida e eficazmente absorvido pelo tubo digestivo, que por sua vez é absorvido pelas células tiroideias através da bomba Na+/I ATPase sob estimulação da TSH.
A oxidação do iodo inorgânico é feita pela enzima peroxidase da tiroideia, que utiliza peróxido de O2 e NADPH oxidases como doadores de O2, posteriormente este iodo é incorporado aos resíduos de tirosina da tireoglobulina (Tg) que é secretada pelas células foliculares para o interior do folículo, formando monoiodotirosina e diiodotirosina (organificação).
Finalmente forma-se triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) que são as formas activas e que são libertadas para a circulação após a proteólise da Tg por parte das células foliculares sob estimulação da TSH.
O principal modulador do estado funcional e morfológico da glândula tiroideia é a TSH.
A secreção de TSH é estimulada pela TRH e inibida pelas hormonas tiroideias.
Assim, o défice de iodo pode levar à diminuição da síntese T4 e consequentemente ao aumento da TSH que, por sua vez, leva ao aumento da captação de iodo, da organificação e da proliferação celular com bócio.

bocio 180x180 - Défice de Iodo Endémico com Bócio

Défice de Iodo Endémico com Bócio

A deficiência marginal de iodo (50-100 mg/dia), como acontece na Europa, é normalmente bem tolerada a não ser nos casos de gravidez e sobrecarga súbita de iodo que podem levar a hipertiroidismo em doentes com doença de Graves ou BMN.
A absorção inadequada de iodo pela tiroideia, tanto através de inibidores (por exemplo, tecnécio, perclorato) como devido a doença congénita, leva a hipotiroidismo e bócio.
O bócio com hipotiroidismo pode ainda resultar de defeitos na organificação, como défice da enzima peroxidase, defeitos na produção de peróxido de hidrogénio ou defeitos na molécula de tireoglobulina.

1b6fc697ad0a3099650e743e480181ea02fd3b3e 180x180 - Prevalência (Tiroidite Crónica)

Prevalência (Tiroidite Crónica)

Cerca de 30 a 45% das mulheres e 20% dos homens apresentam focos de tiroidite em autópsias. A prevalência de anticorpos antitiroideus é maior nas mulheres e aumenta com a idade podendo chegar a cerca de 33% nas mulheres com mais de 70 anos. No entanto, a prevalência de hipotiroidismo subclínico é bem menor, cerca de 5 a 10%, e a de hipotiroidismo de 1,5 a 3%.
Nas regiões sem défice de iodo, a tiroidite auto-imune é responsável pela grande maioria dos casos não iatrogénicos de hipotiroidismo.