Artigos

sonda nasogastrica1 180x180 - Indicações para alimentação entérica por sonda

Indicações para alimentação entérica por sonda

– Anorexia.
– Doenças neurológicas que não permitem alimentação oral.
– Doentes sob ventilação mecânica.
– Doentes médicos ou cirúrgicos graves com necessidades metabólicas elevadas
– Má-nutrição proteica ou calórico-proteica.
– Certas situações:
• Fístulas enterocutâneas – há relatos do maior benefício através de sonda colocada distalmente à fístula.
• Resseção intestinal extensa – o fornecimento de nutrientes por via intestinal favorece a adaptação intestinal.
• Doença de Crohn do intestino delgado.
Pancreatite aguda grave – considerada durante muito tempo indicação para NP, foi demonstrado que a dieta entérica, sobretudo por sonda jejunal, é bem tolerada, embora não esteja demonstrado o seu benefício relativamente à tradicional alimentação nasogástrica.

neurologia 180x180 - Complicações Neurológicas

Complicações Neurológicas

Têm vindo a aumentar em função da utilização de novas drogas e de doses mais altas.
Podem-se manifestar de diversas formas: alteração do estado de consciência (ifosfamida, por exemplo), disfunção cerebelosa (5-FU), ototoxicidade (cisplatina) ou, mais frequentemente, neuropatia periférica predominantemente de tipo sensitivo (platinos, alcaloides da vinca e taxanos).
Não existe antídoto conhecido; só a identificação precoce dos sintomas pode permitir minorar o problema levando à suspensão do citostático (ou reduzir a dose).

medicina web 1 180x180 - Sintomatologia (Tripanossomíase Humana Africana)

Sintomatologia (Tripanossomíase Humana Africana)

Na clínica podem considerar-se três fases: fase local, fase hemolinfática e fase nervosa.
A fase local é originada pela picada de mosca, cancro de inoculação com características de maculopápula pruriginosa, por vezes hemorrágica. Raramente referida nos indivíduos autóctones de raça negra. As fases seguintes são mais bem definidas e longas para T.b. gambiense. A doença por T. b. rhodesiense é mais aguda e muitas vezes traduz-se por um quadro febril com poliserosites.
A febre tem características semelhantes às da malária. As adenopatias atingem sobretudo a região da nuca. As lesões cutâneas podem ser maculares, maculopapulares e pruriginosas.
As lesões neurológicas condicionam uma sintomatologia variada com cefaleias, alterações do comportamento, alterações motoras da marcha, sonolência e alterações de consciência até ao coma profundo.


Warning: DOMDocument::loadHTML(): htmlParseStartTag: invalid element name in Entity, line: 1 in /home/medicina/public_html/wp-content/plugins/wpex-auto-link-titles-master/wpex-auto-link-titles.php on line 30
reduzir riscos do uso de antibioticos para criancas e simples 1  2012 10 22151531 180x180 - Utilização de Corticóides (Meningite)

Utilização de Corticóides (Meningite)

O benefício da utilização sistemática de corticóides como adjuvantes da terapêutica antibiótica na MAB não está definitivamente demonstrado. No entanto, com base quer nos resultados de estudos no modelo animal, quer nos benefícios demonstrados na redução de sequelas neurológicas (surdez) na população pediátrica, e ainda nos resultados de um estudo controlado, conduzido em condições epidemiológicas comparáveis às de que dispomos em Portugal, poderá ser útil a utilização de dexametasona nos doentes com MAB em que se suspeite de etiologia pneumocócica e que se apresentem, à entrada, com GCS entre 8 e 11. O benefício na MAB de outra etiologia não foi demonstrado, tal como não foi em doentes com defeitos neurológicos ligeiros (GCS >11) ou muito graves (GCS <8). A dexametasona poderá ser suspensa se não se confirmar a etiologia pneumocócica. Neste estudo, a dexametasona foi utilizada na dose de 0,15 mg/kg cada 6 horas, e.v., com a 1.ª toma feita 15-20 minutos antes do início da antibioterapia. Note-se que a dexametasona pode reduzir a penetração de fármacos como a vancomicina através da BHE, pelo que o benefício da sua utilização deverá ser ponderado, também, de acordo com o esquema de antibioterapia a ser utilizado.

sarcoptes galerias 180x180 - Patogénese (Escabiose)

Patogénese (Escabiose)

O prurido surge após sensibilização ao S. scabiei. Quando se trata da primeira infestação, a sensibilização pode levar 2-4 semanas a desenvolver-se. Porém, na reinfestação, uma vez que o indivíduo já está sensibilizado, o prurido pode surgir ao fim de 24-48 horas.
Os doentes imunodeprimidos ou com doenças neurológicas podem desenvolver formas particularmente exuberantes de sarna, designadas como sarna norueguesa ou crostosa.
Ao contrário do que acontece na escabiose vulgar, em que geralmente não há mais do que 10 ácaros infestantes, na sarna norueguesa estes podem exceder o milhão, pelo que são formas de extrema contagiosidade, por vezes apenas diagnosticadas quando surgem várias pessoas contagiadas no agregado do doente ou mesmo nos serviços de saúde onde estes doentes estão internados.
Clinicamente caracteriza-se por prurido intenso, disseminado, poupando apenas a cabeça, a região cervical e o dorso, o qual se agrava, caracteristicamente, durante a noite, causando distúrbios do sono. Na escabiose crostosa, mais de metade dos doentes não tem prurido.
A observação podem encontrar-se vários tipos de lesões:
—> Galerias intra-epidérmicas – acinzentadas ou da cor da pele, têm trajectos lineares ou serpiginosos, com cerca de 2-3 mm de comprimento, com pequena vesícula ou pápula na extremidade do túnel. As localizações mais frequentes são: bordos das mãos, faces laterais dos dedos, pregas interdigitais, punhos, cotovelos, bordo interno dos pés e genitais masculinos.
—> Pápulas pruriginosas à volta das axilas, na região peri-areolar, no abdómen, circundando o umbigo, nas coxas e regiões glúteas.
—» Vesículas e vesico-pústulas nas palmas e plantas, em crianças até aos 2 anos.
—> Nódulos eritematosos ou eritemato-acastanhados (nódulos escabióticos) de superfície lisa. Localizam-se preferencialmente no pénis, escroto, axilas, cintura, nádegas e aréola mamária. Podem permanecer semanas ou meses após a escabiose ter sido tratada eficazmente.
—> Lesões eczematiformes e impetiginização podem surgir secundariamente ao prurido.
O diagnóstico é fundamentalmente clínico. Em caso de dúvida, o exame microscópico de escamas retiradas de pápulas ou de galerias e examinadas sob óleo de imersão permite visualizar o ácaro, ovos ou fezes.

sangue 180x180 - Diagnóstico ( Púrpura Trombopénica Trombótica)

Diagnóstico ( Púrpura Trombopénica Trombótica)

—> É essencialmente clínico e baseado na observação do sangue periférico; testes para ADAMTS13 não são da prática clínica corrente.
—> O conjunto de manifestações hematológicas, a par de alterações neurológicas e da função renal, e ocasionalmente febre, deve evocar o diagnóstico.

fotografia 1 180x180 - Classificação (Síndromes Paraneoplásicas)

Classificação (Síndromes Paraneoplásicas)

– Endócrinas – síndrome carcinóide, osteomalacia, hipercalcemia, Zollinger-Ellison, síndrome de secreção inapropriada de hormona antidiurética, síndrome de Cushing, hipoglicemia, ginecomastia.
– Ocular – retinopatia.
– Hematológicas – tromboflebite, policitemia, aplasia eritrocitária, anemia hemolítica, eosinofilia e coagulopatia intravascular disseminada.
– Neurológicas – síndrome de Eaton-Lambert, degenerescência cerebelosa, opsoclonus-mioclonus, encefalomielite, neuropatia sensitiva, miastenia gravis, Stiff-man syndrome, síndrome do neurónio motor.
– Reumatológicas – osteoartropatia hipertrófica, poliartrite, síndrome de artrite-paniculite, fasceíte eosinófila, vasculite leucocitoclástica, síndrome de Raynaud, eritromelalgia, policondrite recidivante, polimiosite-dermatomiosite.
– Cutâneas – xantomas disseminados, acantose nigricans, acantose palmar, eritema gyratum repens, queratoses seborreicas múltiplas (sinal de Leser-Trelat), hipertricose lanuginosa adquirida, síndrome de Sweet, acroqueratose, pênfigo, papilomatose cutânea florida.
– Renal – glomerulopatia membranosa, síndrome nefrótica.
– Outras – febre, prurido.

como funcionan los antibioticos 1 0 180x180 - Tratamento (Compressão Medular)

Tratamento (Compressão Medular)

O tratamento é urgente; o risco neurológico de lesões irreversíveis está directamente relacionado com o tempo de compressão – com mais de 48 horas de evolução, as lesões neurológicas são irreversíveis.
—> Dexametasona – 10 mg de início e depois 5 mg 6/6 horas e.v. (ou oral). A dose deve ser posteriormente reduzida ao fim de 2 a 3 semanas mas não antes de se ter eventualmente iniciado RT.
—> Neurocirurgia – um reduzido número de casos tem indicação cirúrgica: doentes com localização única, com bom prognóstico oncológico e geral, em fase precoce de sintomas, doentes previamente irradiados ou sob RT mas em que surgem novos sinais neurológicos, colapso vertebral ou para restabelecimento da estabilidade da coluna.
—> RT – esta deve ser iniciada de imediato.
No caso particular do carcinoma da mama e próstata, deve-se ter em consideração ao iniciar a castração farmacológica (análogo LH-RH), pode existir uma reacção flare – intensificação de sintomas e risco de agravamento da compressão medular. Nestes casos, antes de se iniciar o análogo LH-RH, dever-se-á começar 2 a 4 semanas antes um antiestrogénio (tamoxifeno ou inibidor da aromatase, para o carcinoma da mama) ou anti-androgénio (carcinoma da próstata).

Foto 1 SES cirurgias de vesícula 180x180 - Terapêutica Cirúrgica (Doença Óssea de Paget)

Terapêutica Cirúrgica (Doença Óssea de Paget)

Poderá ser necessária a intervenção cirúrgica em doentes com doença óssea de Paget, nomeadamente em casos de:
—> Fracturas.
—> Complicações neurológicas.
—> Deformações ósseas.
—> Osteoartrose.

o excesso de sono como conviver com esse problema 1 180x180 - Perturbações Neurológicas do Sono

Perturbações Neurológicas do Sono

Existem múltiplas perturbações do sono, que se agrupam de acordo com a classificação internacional (ICSD-2). Optou-se por abordar as hipersónias de origem central, as perturbações do ritmo circadiário, as parassónias e as perturbações do movimento relacionadas com o sono. As insónias e as perturbações respiratórias relacionadas com o sono não serão discutidas, por constrangimentos de espaço e por serem patologias transversais a outras disciplinas.