Artigos

iStock 000003834834Large cmyk 180x180 - Fisiopatologia e Clínica (Insuficiência Valvular Aórtica)

Fisiopatologia e Clínica (Insuficiência Valvular Aórtica)

A IA provoca no coração uma condição mista de sobrecarga de volume e de pressão, que conduz lentamente a um remodeling ventricular com dilatação e hipertrofia excêntrica numa fase inicial dita “compensada” (fração de ejeção normal) e posteriormente “Patológica” (disfunção ventricular).
Pacientes com IA significativa podem permanecer “assintomáticos” ou com sintomas inespecíficos durante longos períodos, tolerando exercícios moderados sem dificuldade (mas não esforços mais intensos), sendo necessário por vezes efetuar, para além da avaliação clínica e dos exames de rotina (ECG, raio X do tórax, eco-Doppler), também prova de esforço ou mesmo ARN (angiografia de radionuclídeos) e RM, a fim de se classificar o seu “estádio”.
Uma vez estabelecida a cronicidade e a estabilidade do processo, a frequência da avaliação clínica e da repetição dos exames não invasivos depende da gravidade da regurgitacão, do grau de dilatação, da FVE (função do ventrículo esquerdo) e das alterações progressivas nas suas dimensões e na função.
Assim, doentes assintomáticos com IA ligeira ou moderada, com VE não ou pouco dilatado e normal FVE, devem ter exame clínico anual e ecocardiográfico de 1 ou 2/2 anos. Os pacientes assintomáticos com IA grave, normal FVE e dilatação significativa do VE (dimensão telediastólica >60 mm) requerem uma avaliação clínica trimestral ou semestral e ecocardiográfica semestral ou anual, dependendo da estabilidade dos sintomas e das avaliações não invasivas.

NORTON4 180x180 - Neurinoma de Morton

Neurinoma de Morton

O neurinoma de Morton é uma situação patológica que resulta de uma neuropatia de compressão dos nervos interósseos plantares do pé, entre as extremidades proximais dos metatarsos.
Os nervos plantares interno e externo do pé dividem-se em ramos interdigitais. Estes ramos localizam-se no lado plantar do ligamento transverso intermetatársico.
A causa da síndrome compressiva parece ser o espessamento do ligamento transverso interrnetatársico que, pressionando o ramo nervoso, pode levar à formação de um neurinoma.
Os doentes referem dor em queimadura que irradia a partir das regiões interdigitais para as extremidades dos dedos. E mais frequente ao nível dos segundo e terceiro espaços interdigitais. A utilização de sapatos apertados ou de saltos altos pode agravar a situação.
A dor é de características mecânicas, mas também pode ocorrer em repouso. A palpação local no espaço entre os metatarsos provoca dor. Por vezes palpa-se um nódulo doloroso nestes locais.
A metatarsalgia de Morton deve ser diferenciada de outras doenças inflamatórias que podem afetar o antepé.
As radiografias convencionais não detetam o neurinoma, mas a ecografia pode identificá-los como lesões ovóides, hipoecogénicas. A RM também pode ser útil.