Artigos

dores reumaticas reumatismo costas1 180x180 - Tratamento das Doenças Reumáticas

Tratamento das Doenças Reumáticas

A Reumatologia é o ramo das ciências médicas que se dedica à profilaxia, diagnóstico, tratamento e reabilitação das doenças do aparelho locomotor. A abordagem inicial dos doentes portadores de patologia reumática carece de uma avaliação clínica criteriosa, passando por uma colheita de história clínica minuciosa e por um exame objetivo pormenorizado.
Para o diagnóstico das diversas patologias do aparelho locomotor, o médico deve basear-se em princípios relativamente simples, de índole essencialmente clínica, complementando esses dados com os obtidos com os exames complementares de diagnóstico.
Possivelmente, mais nenhuma especialidade médica necessitará tanto dos dados obtidos com o inquérito e com o exame objetivo dos doentes, para obter os diferentes diagnósticos. A maior parte dos critérios definidos para a classificação e diagnóstico das diferentes entidades nosológicas reumatológicas são de índole clínica, quer se trate de doenças de natureza complexa como, por exemplo, as doenças do tecido conjuntivo, quer se trate de situações etiopatogenicamente mais simples, como os reumatismos de partes moles.
As doenças reumáticas englobam mais de 120 entidades nosológicas que interessa identificar. Cada doença requer um plano terapêutico integrado, por vezes com necessidade de recurso a diferentes especialidades médicas ou cirúrgicas e a outros técnicos de saúde. Uma correta identificação dos problemas é determinante para o êxito do tratamento.
Não é do âmbito deste trabalho a descrição pormenorizada do inquérito clínico e do exame objetivo em Reumatologia. Nestes se baseia, contudo, toda a atividade clínica dos médicos que se dedicam a este grupo de patologias.

benzodiacepinas 180x180 - Terapêutica (Osteoartrose)

Terapêutica (Osteoartrose)

A OA é, de facto, uma doença frequente com uma clínica monótona, no entanto, um diagnóstico exato é fundamental para o estabelecimento da terapêutica adequada e para a exclusão de outras situações com abordagens naturalmente diferentes. Os objetivos da terapêutica centram-se no controlo dos sintomas e na minimização da incapacidade, promovendo a integração do doente no seu ambiente familiar, social e profissional com um mínimo de limitações.
A evicção da progressão da doença é, naturalmente, outro objetivo que a comunidade científica persegue.
É comummente aceite que o tratamento desta entidade deva ser, para a generalidade dos doentes, iniciado e mantido pelo médico de família. A realização de uma consulta de Reumatologia pode, no entanto, ser benéfica numa fase inicial para uma avaliação global do doente e planificação geral da terapêutica. A referenciação deverá ser efetuada de forma sistemática se existirem dúvidas diagnosticas, dor ou outros sintomas de forma persistente, deterioração funcional progressiva, derrame intra-articular e/ou suspeita de patologia abarticular associada. O reumatologista deverá, então, apresentar soluções para os problemas diagnósticos e/ou terapêuticos colocados, estabelecer um plano de avaliação/terapêutico a médio-longo prazo e promover, se for esse o caso, a ligação ao fisiatra ou ortopedista.
Uma enorme diversidade de medidas farmacológicas e não farmacológicas são passíveis de serem utilizadas na abordagem terapêutica da OA. O tratamento deverá, no entanto, ser sempre individualizado, tendo em atenção a distribuição anatómica, o estádio e a forma de progressão da doença. Devemos ainda respeitar as indicações e as contra-indicações, a posologia e as precauções de cada um dos nossos gestos. É ainda fundamental reter que, em muitos casos, a “simples” educação do doente será o suficiente para o seu equilíbrio. Abordaremos de seguida os aspetos gerais da terapêutica da OA.