Artigos

Brain biopsy under stereotaxy 1 180x180 - Radiocirurgia Estereotácica

Radiocirurgia Estereotácica

A RT estereotácica é uma técnica de tratamento tridimensional que administra a dose de tratamento numa única sessão. Sistemas de colimadores dedicados são adaptados a aceleradores lineares para permitir o tratamento de campos de dimensões reduzidas (cerca de 3 cm de diâmetro). São habitualmente feitos múltiplos campos efectuando arcos, de modo a concentrar a dose na zona a tratar, poupando os tecidos adjacentes.
Os tratamentos intracerebrais também podem ser efectuados por unidades dedicadas de cobalto (Gamma Knife), que usam o efeito concomitante de mais de duas centenas de fontes de Cobalto-60.
Esta técnica é mais frequentemente usada no tratamento de lesões intracranianas, podendo também ser usada noutras localizações, sendo então designada por RT estereotácica extracerebral. Neste caso a sua aplicação está limitada aos aceleradores lineares e a equipamentos inovadores com braços robóticos especialmente dedicados a estas técnicas (CyberKnife).
A radiocirurgia é uma opção viável e eficaz no tratamento de malformações arteriovenosas e de tumores cerebrais primitivos ou metastáticos de pequenas dimensões (até 4 cm), embora a lista de aplicações esteja em crescimento, incluindo neurinoma do acústico, meningiomas e nevralgia do trigémeo.

FOOTO ELCIMAR NEVES ACELERADOR LINEAR 180x180 - TC Simulador

TC Simulador

A simulação com TC utiliza um aparelho de TC com software de localização e simulação virtual e sistema de lasers para posicionamento do doente. O sistema permite obter informação tridimensional relativa à anatomia do doente, delinear o tumor e outras estruturas, determinar um volume alvo para o tratamento, efectuar marcações de referência na pele do doente, simular e modificar os campos de irradiação, produzir e imprimir radiografias reconstruídas digitalmente. Usando software de reconstrução 3D, os campos podem ser visualizados na superfície cutânea através de sistemas de lasers móveis. Este método é superior à simulação convencional, tirando partido de um sistema de simulação geométrica.
A simulação virtual é inteiramente baseada na anatomia individual. E uma simulação volumétrica, que tem em conta cada curva e cada ângulo do indivíduo. A informação é completa e precisa relativamente ao tamanho, localização e posição de qualquer estrutura anatómica. O tumor pode ser delimitado com exactidão e o feixe de tratamento orientado para o seu centro. A dependência nas características individuais de cada doente estabelece este método como uma ferramenta essencial para a RT conformacional, permitindo minimizar o volume de tecido normal tratado.
A simulação com TC permite uma avaliação detalhada da anatomia interna, com a vantagem acrescida de possibilitar uma visualização mais avançada da extensão tumoral.
Através de ferramentas específicas, os dados obtidos com TC podem ser associados aos obtidos com RM, PET ou SPECT, para visualização morfológica e funcional.