Artigos

img como reconocer los sintomas de la gonorrea 66 orig 180x180 - Blenorragia

Blenorragia

É a infecção provocada pela Neisseria gonorrhoeae. Manifesta-se a maioria das vezes como uretrite mucopurulenta nos homens e como endocervicite assintomática ou com sintomatologia mínima nas mulheres. Tem um período de incubação de 2 a 5 dias. As localizações extragenitais são a faríngea, a anal e a forma disseminada.
Os doentes infectados com N. gonorrhoeae estão também, frequentemente, infectados com Chlamydia trachomatis, pelo que alguns autores sugerem o tratamento concomitante das duas afecções.
Actualmente, e em face do grande número de estirpes resistentes à penicilina, esta deixou de ser o tratamento aconselhado.

remedio 180x180 - Outras Uretrites

Outras Uretrites

A uretrite não gonocócica nem clamídica deve ser tratada com:
– Azitromicina 1 g, oral, numa única toma.
– Ou com doxiciclina 100 mg, oral, 2xdia, durante 7 dias.
– Em alternativa pode utilizar-se a eritromicina 500 mg oral, 4xdia, durante 7 dias.
Os casos em que há persistência dos sinais clínicos ou dificuldades no tratamento deverão ser enviados a consulta de referência.

not noticias medicas vih 1134 180x180 - Doentes com Infecção VIH (Blenorragia)

Doentes com Infecção VIH (Blenorragia)

Nos doentes VIH positivos o tratamento é semelhante.
Doentes com uretrite purulenta ou mucopurulenta deverão, sempre que possível, fazer testes para determinar o agente específico, sendo os mais frequentes a N. gonorrhoeae e a C. trachomatis. Com as novas técnicas de PCR é hoje possível a detecção de C. trachomatis na urina.

benzodiacepinas 180x180 - Antibioterapia (Espondilartrites)

Antibioterapia (Espondilartrites)

Antibioterapia – o recurso a antibióticos é pertinente em algumas formas de artrites reativas, nomeadamente nas secundárias a infeções geniturinárias. A terapêutica antibiótica precoce, no tratamento da uretrite a Chlamydia trachomatis, e mantido por um período de 3 meses, é eficaz na prevenção da artrite reativa recorrente. A terapêutica efetuada apenas no início da artrite já se revela ineficaz. Por outro lado, as recorrências de uretrite a Chlamydia deverão ser tratadas com antibióticos por forma a evitarem recorrências da artrite reactiva. É possível que o efeito terapêutico das tetraciclinas seja devido não ao seu efeito microbicida, mas à supressão das meteloproteinases. A terapêutica antibiótica parece, porém, ser totalmente ineficaz nas artrites reativas pós-disentéricas e nas formas crónicas das artrites pós-infeção genital.

slide2 180x180 - Manifestações Extra-Articulares

Manifestações Extra-Articulares

Estas manifestações são importantes, não só para o estabelecimento do diagnóstico de espondilartrite seronegativa como para o diagnóstico diferencial dentro do grupo:
—> Envolvimento mucocutâneo – a pesquisa de aftas orais e/ou genitais, balanite/cervicite, psoríase (dando atenção aos locais mais frequentemente envolvidos como couro cabeludo, sulco interglúteo, leitos ungueais, superfícies de extensão de cotovelos e joelhos), deve ser efetuada de forma sistemática, quer no interrogatório, quer no exame objetivo, pois são manifestações que os doentes frequentemente omitem por as não valorizarem.
—> Envolvimento geniturinário – uretrite, cervicite.
—> Envolvimento ocular – pesquisa essencialmente de uveíte (habitualmente anterior, aguda, unilateral, recorrente, resolvendo-se geralmente em 2-3 meses) e conjuntivite, sendo em regra importante a observação oftalmológica. A tríade artrite-uretrite-uveíte constitui a síndrome de Reiter.
—> Envolvimento gastrintestinal – episódios de diarreia a anteceder o quadro clínico, caso das artrites reativas, ou antecedendo, sendo concomitantes ou aparecendo posteriormente às manifestações articulares como nas DII (doenças intestinais inflamatórias) (nestes casos acompanhando-se habitualmente por sangue, muco ou pus).
– Outras manifestações sistémicas podem ocorrer, salientando-se o envolvimento cardiovascular. A insuficiência da válvula aórtica e as anomalias de condução são as mais frequentemente observadas, embora raras.