2014050916080950
Tratamento (Líquen Plano)

A necessidade de tratamento surge, sobretudo, nas formas muito extensas e sintomáticas, pruriginosas, ou em localizações particulares, como na mucosa oral, nas regiões palmo-plantares e no couro cabeludo (possibilidade de alopecia cicatricial definitiva).
Os corticosteróides (tópicos, intralesionais, orais) constituem a terapêutica mais eficaz nesta entidade. Nos casos mais sintomáticos, os corticosteróides, em pomada ou creme de potência média, aplicados l-2xdia, aceleram a resolução das lesões e diminuem o prurido. Em lesões persistentes, localizadas e muito pruriginosas, estão indicados corticosteróides mais potentes, se necessário sob penso oclusivo, durante períodos curtos (± – semanas). A injecção intralesional de betametasona, repetida com intervalos de 3 a 4 semanas, pode ser benéfica nas lesões mais infiltradas, em particular nas lesões hipertróficas dos membros inferiores e nas da mucosa oral. A corticoterapia sistémica é reservada para os casos mais graves e refractários à terapêutica tópica; a prednisona oral (20 a 30 mg/dia) durante 2 a 3 semanas, com redução progressiva da dose, conduz à interrupção da actividade da dermatose e atrasa as recidivas.
A ciclosporina é também muito eficaz nas formas extensas e pruriginosas. Em doses iniciais de 2,5-3 mg/kg/dia controla, habitualmente, os surtos, devendo fazer-se a redução progressiva da dose até à suspensão. A reactivação da dermatose após a suspensão é rara.
Nas formas extensas, sintomáticas e refractárias à corticoterapia, a fotoquimioterapia oral (PUVA) ou os retinóides orais (acitretina), em esquemas terapêuticos idênticos aos da psoríase, podem ser uma alternativa.

Algumas Etiquetas


cirurgia de hemorroida,cricotomia,herpes génital,fissura anal,radioterapia,trinitrato de glicerina,urticaria,leucocitos 14000,meralgia parestésica,cirurgia de hemorroidas.

Tambem podera gostar -