prd_42_i_TotalFaceMask-In-Use-

A VNI (ventilação mecânica não invasiva) é uma forma de administração de suporte ventilatório artificial, utilizando interfaces que não necessitam de uma via aérea endotraqueal.
As razões do interesse atual pela VNI por pressão positiva prendem-se, fundamentalmente, com a necessidade de evitar as complicações da VMI (ventilação mecânica invasiva). Numerosos estudos, particularmente em doentes com DPOC agudizada, demonstraram que a VNI reduz as principais complicações infeciosas da VMI, diminui a mortalidade hospitalar e aumenta o conforto do doente.
Os benefícios principais da instituição de VNI resultam da diminuição do trabalho respiratório e consequentemente da melhoria da ventilação alveolar, permitindo simultaneamente o repouso dos músculos respiratórios, contribuindo desta forma para a redução da hipercapnia com posterior normalização do pH do sangue.
Na IRA hipoxémica permite assegurar uma oxigenação adequada através do aumento da FiO2 e da promoção do recrutamento de mais espaços aéreos para as trocas gasosas.
Um efeito adicional da VNI é no aparelho cardiovascular. A redução do retorno venoso ao coração direito e do afterload ventricular esquerdo, a diminuição da frequência cardíaca e da tensão arterial explicam parte do sucesso da sua aplicação em doentes com edema pulmonar agudo.
Quando utilizada de forma crónica (noturna) em doentes com patologia do sono e/ou obesidade, limita as alterações adversas na oxigenação e na eliminação do anidrido carbónico, resultantes do estreitamento morfológico/colapso das vias aéreas superiores, alterando a morfologia e promovendo um aumento do volume pulmonar e da ventilação alveolar.
Numerosos estudos prospetivos, randomizados e controlados mostraram que a aplicação precoce de VNI está associada a um alto nível de sucesso, principalmente na exacerbação da DPOC, no edema pulmonar agudo cardiogénico, insuficiência respiratória hipoxémica nos doentes imunocomprometidos, assim como no desmame do ventilador nos doentes com DPOC agudizada.
O sucesso da aplicação da VNI está não só dependente de uma seleção rigorosa dos doentes, mas também da escolha e utilização de ventiladores e interfaces adequadas e do treino e experiência dos técnicos de saúde responsáveis pela sua aplicação.
Embora os ventiladores convencionais possam ser utilizados para VNI, há vantagem nos ventiladores concebidos só para aplicação não invasiva. São geradores de fluxo, pequenos e leves, capazes de insuflarem ar no aparelho respiratório através da aplicação de uma pressão positiva, variando em cada ciclo respiratório esta pressão entre dois valores preestabelecidos no modo binível ou BiPAP ou mantendo uma pressão constante na via aérea no modo CPAP (continuons positive airway pressure) (utilizado na IRA hipoxémica e na IRC dos doentes com SAS).
Possuem triggers muito sensíveis, capazes de detetar os menores esforços inspiratórios dos doentes, habitualmente têm um circuito único, as traqueias são leves, possibilitam a administração suplementar de oxigénio e têm uma monitorização muito reduzida.

Algumas Etiquetas


cirurgia de hemorroida,cricotomia,herpes génital,fissura anal,radioterapia,trinitrato de glicerina,urticaria,leucocitos 14000,meralgia parestésica,cirurgia de hemorroidas.

Tambem podera gostar -